UFOVIA - ANO 5 

   Via Fanzine   

 

 

 casuística

 

 

UFOs no Estado de São Paulo:

A Chuva de Prata de 1.954

A década de 1.950 foi riquíssima no Brasil e no mundo, em observações de discos voadores

e contatos com extraterrestres e o "Caso Chuva de Prata", ocorrido em Campinas-SP,

viria se tornar um dos mais clássicos da história ufológica do Brasil.

 

Por J. Carlos Rocha Vieira Júnior*

De Campinas-SP

Para UFOVIA

www.viafanzine.jor.br

 

 

Jornal Correio Popular, de 24/12/1954: "Intervém o Estado-Maior da Aeronáutica".

Objeto voador despeja substância desconhecida em Campinas.

 

Depois do reconhecimento oficial da existência dos discos voadores, feito pelo governo brasileiro, através de órgão especializado, pelo coronel-aviador João Adil Oliveira, chefe do Serviço de Informações do Estado-Maior da Aeronáutica, em 02 de novembro de 1.954, o interesse e a atenção das pessoas foram aguçados.

 

A partir de 1.952, Campinas já registrava um grande aumento no aparecimento de discos voadores e, em 1.954 houve um recorde nessas observações. No dia 13 de dezembro de 1.954, domingo, por volta das 18h15, de início, bem alto no céu, foram observados três discos voadores de formato cônico e cinza fosco. Abaixando, os três sobrevoaram a região central de Campinas e quando pararam em cima da então estação de força da Companhia Paulista de Força e Luz, na avenida Anchieta saiu do “disco” do meio, uma espécie de metal líquido incandescente, que atingiu as três últimas casas da rua Luzitana, quando essa termina na rua Major Sólon.

 

A moradora da última casa, que era amiga da família do jornalista, professor e espírita, senhor Benedito Gonçalves do Nascimento, residente também à rua Major Sólon, imediatamente procurou o emérito jornalista que, prontamente seguiu para a residência da senhora onde pode presenciar o metal fumegando no chão. Depois de esfriado, o senhor Benedito Gonçalves do Nascimento recolheu tudo, levando para a redação do jornal Correio Popular, onde trabalhava.

 

Além de publicar matéria jornalística sobre o ocorrido, Benedito contatou outros pesquisadores, entre os quais, o jornalista e músico Cataldo Bove e o senhor Visvaldo Maffei, que trabalhava no Laboratório Young, à rua Francisco Teodoro, nº 584, na Vila Industrial. O químico formado na Universidade de São Paulo (USP), Visvaldo Maffei, três dias depois expediu o laudo da análise metálica: 88,91% de estanho puro.

 

Nesse meio tempo a notícia repercute no país e ocorre a intervenção do Estado-Maior da Aeronáutica, através do coronel-aviador João Adil Oliveira. Esse coronel foi o mesmo que investigou o atentado na rua Toneleiros, na cidade do Rio de Janeiro, onde foi ferido o jornalista Carlos Lacerda.

 

O ufólogo e advogado-procurador do Governo do Estado de São Paulo, senhor José Escobar Faria, residente na capital paulista, com vários contatos pelo país e o mundo, afirma que Campinas foi a primeira cidade do mundo a ter prova física da existência dos discos voadores.

 

Da redação do jornal Correio Popular, amostras foram enviadas à Universidade de Ohio, em Cleveland (EUA), e analisadas pelos cientistas Charles A. Maney e Natham Meltz, que confirmaram na íntegra a análise realizada pelo senhor Visvaldo Maffei em Campinas.

 

Na década de 1.960, através do jornalista, músico e ufólogo Cataldo Bove outra amostra é levada à Alemanha, pelo médico e ufólogo doutor Walter Karl Bühler. Em Munique (Alemanha) e Viena (Áustria), novamente, a análise de Campinas é confirmada autêntica.

 

O Coronel João Adil Oliveira foi o responsável pelo inquérito que investigou o atentado (falso)

ao jornalista Carlos Lacerda, no episódio da Rua Toneleiros. Era ele o chefe do serviço secreto da Aeronáutica

e foi o militar responsável por toda a investigação e coleta do metal desconhecido no Caso "Chuva de Prata".

 

José Escobar Faria, como bacharel, esteve inscrito na Ordem dos Advogados do Brasil – Secção de São Paulo, no período de 21 de junho de 1.944 a 04 de julho de 1.990, quando essa inscrição foi cancelada. Era poeta e ufólogo, com farta correspondência nacional e internacional, tendo se aposentado como advogado-procurador do Governo do Estado de São Paulo.

 

Como procurador do governo paulista, esteve em Campinas inúmeras vezes, inclusive participando de todas as investigações do “Caso Chuva de Prata”, em dezembro de 1.954, junto com o químico Visvaldo Maffei, o jornalista e músico Cataldo Bove e o jornalista, professor e espírita Benedito Gonçalves do Nascimento. Ele também conheceu o médico e ufólogo, doutor Walter Karl Bühler.

 

O mais expressivo divulgador da ufologia e das ciências do espaço na história da cidade de Campinas, até a presente data foi o jornalista e músico Cataldo Bove que manteve sempre esses casos sendo periodicamente publicados em nossa imprensa e guardou com zelo as notícias jornalísticas da região.

 

* José Carlos Rocha Vieira Júnior é professor de História e ufólogo desde 1.974.

 

- Fotos: Arquivo do autor / Arquivo UFOVIA.

- Produção: Pepe Chaves.

  © Copyright, 2004-2015, Pepe Arte Viva Ltda.

 

 

 

 

 Bahia - 2005:

Viagem agitada: UFO segue família na estrada

Mais um caso de avistamento é registrado na região de Maiquinique, Sudoeste do Estado da Bahia.

Desta feita, uma família foi seguida durante 150 quilômetros por um objeto voador não identificado durante uma viagem.

O estranho objeto que tinha o formato de um grande pião e emanava luzes de todas as cores chegou bem perto deles,

causando interferências nos faróis, motor e rádio da Kombi em que viajavam. 

Por Equipe UFOBAHIA*

De Lauro de Freitas

Para UFOVIA

 

O UFO brilhante pairou na frente da Kombi e "clareou tudo" com luzes multicoloridas.

 

SUDOESTE BAIANO - No dia 06 de agosto de 2005, entre 4 e 5h da manhã, uma família que viajava pela Estrada Estadual BA-130 entre os municípios Itambé, Itapetinga e Maiquinique, no Estado da Bahia viveu uma experiência ímpar. Eles voltavam do Estado de São Paulo com destino ao Estado de Pernambuco numa perua Kombi, ano 1980, cor bege, chapa de Campos do Jordão/SP. No interior do veículo estavam cinco pessoas: o condutor Daniel Francisco Nunes, de 44 anos, sua esposa Maria Aparecida Nunes da Silva e os filhos Michelle Nunes da Silva (18), Maxwell Nunes da Silva (20) e Daniel da Silva Filho (11 anos).

 

Vieram pela rodovia BR-116 (Rio-Bahia) e na volta, resolveram visitar parentes no interior da Bahia, residentes na cidade de Maiquinique, localizada no Sudoeste desse Estado. Viajaram à noite para aproveitar o fim de semana. Quando estavam na estrada entre Itambé e Itapetinga, depois de descer a perigosa “Serra do Marçal”, vindos de Conquista, o Sr. Daniel notou por volta das 4h da madrugada, que uma estranha luz no céu estava a seguir o seu veículo. Inicialmente, pensou que fosse um avião. Antes de chegar a Itambé, aquilo apareceu novamente, aproximando-se bastante do veículo, quando o motor, faróis e rádio desse apagaram. Segundo a testemunha, esse fato se repetiu por 3 vezes entre Itambé e Itapetinga. Dona Maria Aparecida e o filho Daniel acordaram e também observaram o espetáculo que assustava e deslumbrava-os ao mesmo tempo.

 

O Sr. Daniel é caminhoneiro e tem experiência em viajar à noite. Ao chegar no trevo de Itapetinga parou num posto de gasolina para checar o sistema elétrico do veículo e ver as condições dos cabos e conectores da bateria, “E estava tudo ok”, disse. Falou com um dos frentistas sobre o UFO e o frentista disse-lhe que talvez fosse um avião. Prosseguiram a viagem até Maiquinique, ainda faltavam 51 km para serem percorridos. O tempo estava com serração e neblina, os viajantes perderam o UFO de vista. Logo após recomeçarem a viagem com cerca de 15 minutos na estrada (e após percorrerem 10 quilômetros) o UFO reapareceu, vindo espetacularmente pela direita da Kombi. Todos acordaram e, agitados, entraram em pânico. “Aquilo vai pegar a gente?”, foi o que pensaram.

 

'Um som incomum foi ouvido no rádio FM da Kombi, um som esquisito,

feito chamada de um celular, porém não era celular'

 

'PIÃO MULTICOR' - Estavam a cerca de 10 quilômetros de Itapetinga num ponto ermo de uma estrada deserta. Naquele instante, o UFO colocou-se à frente da Kombi. Era um show de luzes coloridas, azul, vermelho, branco, violeta... Segundo Daniel, “pareciam vários fogos de artifício juntos” . Nesta hora observaram o formato do objeto: parecia um peão metálico com cerca de 3 a 4 vezes o tamanho da Kombi. “O objeto ficou 30 metros à frente do carro e iluminava tudo”, disse a testemunha ao UFOBAHIA. De repente um som incomum foi ouvido no rádio FM da Kombi, “um som esquisito, feito chamada de um celular, porém não era celular”, afirmou Daniel, assegurando que ninguém levava celular naquela viagem.

 

Depois de cerca de 30 segundos, o UFO deu uma arrancada brusca e sumiu na madrugada. Dona Aparecida ficou nervosa e todos chegaram muito agitados na casa do primo, Sr. Bezerra, no município de Maiquinique.

 

Eles acordaram toda a casa e contaram a inusitada experiência, temendo não serem compreendidos pelos parentes.

 

Durante todo o episódio, nenhum carro cruzou a estrada e nenhuma das testemunhas se lembra de ter sido capturado, abduzido, ou tido algum tipo de contato com seres desconhecidos.

 

Não apresentaram seqüelas da experiência inesquecível. A última abordagem do UFO ocorreu a 10 quilômetros de Maiquinique.

O UFO surgiu do lado direito da Kombi e foi para a frente, pairando a cerca de 30 metros do veículo.

 

Eles foram acompanhados pelo objeto por pelo menos 150 quilômetros, a partir de Conquista até 10 quilômetros do destino final, quando se deu a última e mais nítida interceptação.

 

RELATO DA TESTEMUNHA - Daniel Francisco Nunes, motorista carreteiro, 44 anos, registrou em cartório o seu avistamento ocorrido no dia 06 de agosto de 2005 e presenciado por toda sua família. O registro manuscrito que foi encaminhado ao Grupo UFOBAHIA através do pesquisador Emanuel Paranhos de Lauro de Freitas/BA tem autenticação do tabelionato daquela cidade.

'Eu ainda quis parar o carro, pois tremia muito.

O negócio era bonito e assustador ao mesmo tempo'

 

Em alguns trechos de seu relato manuscrito, Daniel deixa patente a grande surpresa que tiveram com aquela experiência. “Quando largamos a BR-116 com destino a Maiquinique, logo que descemos a serra do Marçal, notei no céu havia um objeto com muitas luzes coloridas. A principio pensei que fosse um avião, mas logo notei que nos acompanhava” (...).

 

Ele segue contanto, “Depois de uns 20 minutos o objeto sumiu como um raio, surgindo do lado direito do carro. Então resolvemos acordar a nossa filha, Michelle, que ficou com muito medo e assustada com o que viu. Logo em seguida o objeto se aproximou mais, deu interferência no motor e nas luzes do carro. Nessa hora fiquei em pânico, mas não quis demonstrar para minha esposa e filha, procurei me controlar o máximo que pude. Uns 5 minutos depois, outra interferência, o carro morria e os faróis apagavam, aí ficamos apavorados” (...).

 

Após este contato, o motorista parou num auto-posto, para abastecer, verificar o sistema elétrico do carro e notificou um frentista sobre seu avistamento. Poucos minutos depois de retomar a viagem, o UFO voltou a aparecer, segundo a testemunha, “dessa vez mais próximo, pois estava maior e dava para ver claramente que se tratava realmente de um disco voador. Eu ainda quis parar o carro, pois tremia muito. O negócio era bonito e assustador ao mesmo tempo. O rádio do carro estava ligado e como estávamos longe da cidade estava chiando muito. Então quando eu ia desligar, pareceu um som muito bonito, tipo de celular, era como uma coisa de outro mundo mesmo. Era um som diferente de tudo o que já ouvi”.

 

Mesmo com o motor do veículo, falhando às vezes, ele prosseguiu e disse que o UFO se movimentava à sua frente, ora do lado direito, ora do esquerdo de seu veículo. Até então, o objeto não tinha se mostrado com detalhes para eles, até que, “Já próximo de Maiquinique ele apareceu na frente da Kombi, maior que em todas as outras vezes que tinha aparecido. Nessa hora eu ia parar, mas fiquei com medo de surgir algum bicho do disco e nos atacar. Continuei, mais devagar, quando de repente, o objeto sumiu como uma estrela cadente”.

 

Ao desaparecer no céu em uma velocidade estonteante, aquele UFO não voltou mais a aparecer para eles até que chegassem na casa do primo de Daniel em Maiquinique. Finalizando seu relato, disse Daniel, “Chegamos em Maiquinique, fomos contar o caso, mas com medo que ninguém acreditasse. Mas fiquei muito contente, pois o filho do meu primo, Rodolfo, também já tinha visto o objeto. Foi muito bom ele ter visto, porque ninguém ia acreditar em nós. Eu também não acreditaria, se não tivesse visto”.

 

* O Grupo UFOBAHIA é coordenado pelos pesquisadores baianos Emanuel Paranhos e Alberto Romero.

 

- Imagens de reconstituição: Ilustrações de Alberto Romero baseadas em relatos da testemunha.

 

- Produção: Pepe Chaves.

  © Copyright, Pepe Arte Viva Ltda.

 

 

*  *  *

 

 Bahia - 2005:

UFOs agitam sudoeste baiano

Uma onda de avistamentos foi relatada por habitantes da pequena

cidade de Maiquinique, região Sudoeste do Estado, na divisa com Minas Gerais.

 

Por Equipe UFOBAHIA*

De Lauro de Freitas

Para UFOVIA

 

Foto obtida entre 15 às 16h, do dia 29/05/2005, no "Rancho das Folhagens"em Maiquinique.

 

IMPRENSA - Depois de um período de relativa calma, a casuística ufológica baiana foi agitada, nos últimos meses por uma série de avistamentos. Durante várias semanas entre março e abril deste ano as observações se sucederam principalmente, no município de Maiquinique no Sudoeste do Estado, a poucos quilômetros da divisa com Minas Gerais, agitando aquela pacata cidade.

 

As notícias chegaram até nós, da Equipe UFOBAHIA (G-PAZ e SEVLF) nos primeiros dias de maio através do jornal A Tarde, na seção “A Tarde - Municípios”, Itapetinga, coluna Municípios, uma matéria de Vicente Coelho, assessor de Comunicação da Prefeitura de Maiquinique, que foi a primeira pessoa a escrever e ouvir algumas testemunhas, que deram início a este novo ciclo de casos no estado da Bahia.

 

Vicente nos contou que foi procurado pelo pai de uma testemunha narrando o que seu filho observara e logo mais, outras pessoas o procuraram para lhe narrar fatos acontecidos e presenciados por elas. Vicente Coelho foi contatado por telefone, na prefeitura para procurarmos esclarecer as informações recebidas, inclusive de algumas testemunhas por telefone.

 

Em virtude da conversação com ele mantida, resolvemos viajar até lá nos dias 03 e 04 de Junho, numa viajem de 14 horas para investigarmos os fatos que se mostraram muito interessantes.

 

LOSANGO VOADOR - A primeira visita que fizemos foi à casa de Rodolfo de Jesus da Silva, 19 anos, músico, seguindo-se a uma série de encontros, conversas e abordagens com pessoas da cidade, apontadas por Vicente. Rodolfo fez à nossa equipe um relato bastante objetivo da sua experiência, naquela noite de 18/04: “estava ao lado da minha casa, acompanhado da minha namorada, na oficina mecânica do meu pai, conversando, quando ouvi um barulho que me pareceu de início um carro acelerando na estrada, porém ao olhar para o céu, percebi a origem do som; era um objeto luminoso em forma de ‘ouro do baralho’ (losango), grande, voando sobre o céu da cidade, seguido por dois aviões a jato (?) na trajetória oeste/leste. Observei, aquilo por aproximadamente uns 5 minutos com a minha namorada que ficou bastante impressionada. Os dois aviões tinham duas luzes laterais, brancas e vermelhas, foram na direção de Itarantim e sumiram. Depois de 8 à 10 minutos, o mesmo objeto voltou em trajetória  oposta à inicial, seguido apenas por um avião em sua traseira. O objeto tinha aparência metálica, todo iluminado com uma luz branca ao centro, forte como um farol e em cada ponta, quatro luzes (verde, violeta, dourada e azul) brilhantes que circundavam o aparelho como “anéis de néon” . Aquilo tinha quatro vezes o tamanho dos aviões e não deixava rastro de fumaça”.  O fato se deu por volta das 3 ou 4 horas da madrugada.

 

'Tudo isso caracteriza uma onda de observações ainda possível de reflexões

e bastantes pesquisas que talvez só o tempo e o desenrolar dos fatos nos responda'

 

ESFERA - Antes deste avistamento de abril, entre os dias 10 e 12 de março, o ex-militar Noilson Campos Nunes, 28 anos que trabalhava num bar com o seu pai no centro da cidade, observou um UFO luminoso “com luz de mercúrio” a uns 60m acima da praça onde fica o estabelecimento citado. Era silencioso e seu diâmetro era aproximadamente de 10 a 12m, depois de alguns segundos sobre o local, aquilo manobrou para cima e sumiu.

Eram 01h30 da madrugada. Em fins de abril ou princípio de maio, sete garotos de seis a dez anos, jogavam futebol no campinho de barro, ao lado do campo principal da cidade no bairro União Operária, quando algo quebrou a rotina; Lázaro C. de 9 anos nos contou que “de repente notamos uma fumaça e em segundos uma luz e uma espécie de explosão que assustou a todos do grupo”.

 Os ufólogos Ramos e Paranhos com Edmilson e Vicente Coelho

 

O grupo era composto por Jaquinho, Daniel, Junior, Maíra, Paulinha, Luiz e o já citado Lázaro. Segundo informou, o objeto liberava uma névoa escura e todos, assustados correram para longe e olharam na direção do objeto que estava no campo principal com a fumaça em volta. Parecia uma esfera de 1m de diâmetro.

 

BANDEJA INOX - Outra observação foi realizada no mesmo período por dona Mércia Moreira Santos, casada. Ela preparava-se para assistir ao telejornal das 19h e foi até a janela para chamar o seu filho que estava na rua brincando, quando observando um pouco acima de uma serra que circunda a cidade, uma luz elíptica muito brilhante atravessou o céu e sumiu atrás das montanhas. “Parecia uma bandeja inox refletindo a luz do sol”, disse. Ao comentar o fato no seu local de trabalho (hospital da cidade) uma colega lhe disse também ter observado o mesmo fenômeno, no mesmo horário, de outro ponto da cidade.

 

LOSANGO ILUMINADO - Reconstituição de um objeto narrado por

uma testemunha, ele estaria sendo seguido ou escoltado

por duas aeronaves caças.

Os eventos ufológicos em Maiquinique não cessaram por ai: três pescadores e um vaqueiro tiveram um incrível avistamento de um objeto fusiforme. Eles o descrevem com a forma de charuto e o fato se deu quando pescavam e se encontravam acampados as margens do rio Alegria, na madrugada do último dia 11 de abril, uma semana antes da observação de Rodolfo de Jesus, às 4:30h. “Aquilo emitia uma luz azul ofuscante” e cruzou o céu em direção ao distrito de Pau de Sangue, local onde reside o vaqueiro Danilo Vila Nova, que descreve um fenômeno semelhante, quando se preparava para cuidar do gado da fazenda. Os outros pescadores ocasionais eram Edimilson Sampaio, Everaldo Oliveira e Jenivaldo “Cigano” que costumavam acampar na região citada durante vários dias, pescando e caçando como opção de lazer e diversão já que a cidade não lhes oferecem alternativas. O objeto foi calculado como “grande” segundo as testemunhas. Outras observações deram-se na zona urbana da cidade onde três rapazes viram um facho luminoso que “abria e fechava simultaneamente”. Tudo isso caracteriza uma onda de observações ainda possível de reflexões e bastantes pesquisas que talvez só o tempo e o desenrolar dos fatos nos responda.

 

'Os MIB tupiniquins falaram em português e espanhol (?)

e lançaram descrédito sobre os casos afirmando que não tinham visto nada'

 

BRAZILIAN’S MIB - Enquanto os avistamentos e observações transcorriam, a cidade foi visitada por grupos de homens em veículos civis e militares. Logo após o avistamento do músico Rodolfo e da primeira publicação de Vicente, na madrugada de 19/04, dois jipes militares (um Willys e outro especial Javali) com ocupantes fardados, chegaram ao único posto de gasolina da cidade, por volta das 02h, acordaram o gerente, que mora ao lado, senhor José Alves, abasteceram os veículos e partiram com destino ignorado, pagando em dinheiro e não exigiram nota.

 

Os veículos não pertencem a nenhuma unidade militar das redondezas segundo uma pessoa que trabalha num tiro de guerra do local. E logo após as publicações na imprensa, apareceram na cidade cinco indivíduos trajando paletós (a semelhança de seguranças) numa camionete “Toyota Hillux” de cor preta, com vidros fumê e sem placas, procurando por toda cidade, as principais testemunhas. Interrogaram sobre o que tinham visto a Edimilson, Rodolfo e Vicente, sendo este último foi ameaçado de processos e sanções, caso continuasse a divulgar aquelas notícias “mentirosas” e fazendo-se deslocar até lá “gente importante”.

 

Os MIB tupiniquins falaram em português e espanhol (?) e lançaram descrédito sobre os casos afirmando que “não tinham visto nada”. Surgiram rumores que 2 helicópteros sobrevoaram o município naqueles dias,  um da CEMIG (Centrais Elétricas de Minas Gerais) e outro da Polícia Civil também de Minas Gerais. Fato este, incomum naquelas cercanias da Bahia.

 

Diante de tantos fatos ligados direta e indiretamente aos casos, temos que pensar com mais cuidado e aprofundar nos pequenos detalhes para atingirmos grandes ou pequenas respostas. No momento, estranhamos o silêncio das autoridades municipais locais, o que nos dá motivos para pensar... O senhor prefeito, Nemésio Meira Jr., procurado diversas vezes por telefone para que esclarecesse alguns pontos nebulosos até o dia de hoje não nos atendeu. O que existe de verdade por trás disto?

 

O fato de esquivarem-se as autoridades, talvez traduza uma atitude de desconfiança, em nós, ufólogos, ou dos fatos em si; ou até - talvez - por “pressões externas ou internas” se levarmos tudo ao pé da letra, o que ouvimos a respeito dos MIB? Estas são perguntas que nos ocorrem diante de tudo e, sobretudo, porque sabemos que a Ufologia, às vezes, é um terreno muito escorregadio e polêmico. De concreto temos os fatos, as testemunhas, as evidencias... E elas falam por si.

 

MAIQUINIQUE - O município de Maiquinique se encontra localizado no sudoeste do estado da Bahia, e foi emancipado de Itapetinga, em 1937. Sua economia básica é a pecuária (leite e carne), além da produção mineral de grafite, por parte da mineradora Marmoré que explora a mina a 8km da cidade. A mina Marmoré emprega uma média de 100 funcionários e possui a Vila Pouso Alegre dentro dos seus domínios. Maiquinique se encontra a influencia de Vitória da Conquista que é a 3ª cidade mais importante do Estado e situa-se no planalto sudoeste baiano, entre serras e altitude superior a 300m do nível do mar, o que caracteriza um clima frio e úmido. O município está situado a 630km de Salvador e a 40km da divisa com o Estado de Minas Gerais, próximo às cidades de Jordânia e Almenara. O acesso se dá pelas rodovias BR-116 e BA-470 e 130. Maiquinique foi fundado em 1962, sua altitude é 309 metros, a população é 6.481 habitantes e sua área total é de 415,3 km²

 

* A Equipe UFOBAHIA esteve composta pelos ufólogos: Emanuel Paranhos, Alberto Romero e Luiz Ramos.

- Imagens: Todas as fotos: UFOBAHIA - Ilustração: Pepe Chaves

- Produção: Pepe Chaves.

 

 

 

 

Itaúna/MG:

Incidências de UFOs no centro-oeste mineiro.

O ano de 2002 foi de grande atividade ufológica em Minas Gerais.

Por Pepe CHAVES

Com colaboração de

Hélio de ALMEIDA

 

    'A bola luminosa maior - que deveria ter as dimensões de um automóvel - flutuava silenciosamente, a metros, exatamente acima da menor. Ele conta que de repente, a bola maior soltou sobre a menor um feixe de luz, e através do mesmo a sugou para dentro de si. Tendo a bola de luz menor “entrado” para dentro da maior, esta começou a se movimentar e saiu voando lentamente, até se encobrir atrás do Morro do Bonfim, que pode ser avistado dos Paulas a alguns quilômetros adiante'.  

 

 

No ano de 2002 foram registrados vários avistamentos de UFO’s em Itaúna e região. É interessante notar que as formas dos objetos avistados são bem variadas, nos fazendo crer que não provêm de uma mesma fonte. O curioso é que dois destes casos ocorreram numa mesma noite, às 7h30 do dia 25/07/02 e o outro por volta das 2h30 do dia 26/07/02, coincidentemente, feriado municipal de Santana, padroeira de Itaúna.

 

NO MORRO DO BONFIM - O artista plástico e empresário itaunense, Luis César nos falou da inusitada visão que presenciou ao cair a noite em 25/07. César conta que estava próximo à quadra de futebol de salão da Guimarães & Cia; no centro de Itaúna. De súbito, presenciou um intenso clarão, como se partisse das torres do morro do Bonfim em direção ao sítio do Telmo Dornas, à esquerda do morro. Segundo César eram cerca de 7:30h quando avistou um objeto “descendo” atrás do morro. Sua “cabeça” era vermelho-alaranjada, acompanhada por uma cauda azul-violeta, sendo todo em cores néon. O objeto parecia ser do tamanho de um automóvel e a testemunha assegura que não se tratava de cometa, meteoro ou qualquer outro artefato natural que poderia se encontrar distante no céu causando-lhe uma ilusão quanto à sua distância. César assegura veementemente que o objeto passou próximo às torres de transmissão do Morro do Bonfim. Ele diz que esperou por um estrondo após ver o clarão, supondo a queda de um objeto, porém, barulho nenhum foi ouvido, deixando-o ainda mais surpreso. Posteriormente, ao subir para a praça da matriz, encontrou com dois amigos que haviam presenciado o mesmo avistamento, contando eufóricos às outras pessoas o que haviam visto. Porém, estes se encontravam no Colégio Estadual de Itaúna (de onde se vê o Morro do Bonfim perfeitamente) no momento em que avistaram o objeto luminoso sumir atrás do morro.

 

DOIS UFOs FIZERAM MANOBRAS – Fernando Pires do Carmo, 20 anos na madrugada de 25/07 para 26/07, se encontrava a trabalho retornando de carro de Paulas, distrito de Itaúna. Ele calcula que seria 2h30 da manhã e ao fazer uma curva na estrada vicinal, a cerca de 4 km antes de acessar a rodovia, Fernando se deparou com um objeto muito luminoso flutuando a uma altura de aproximadamente três postos de energia elétrica (+ - 35m). Ele conta que era uma bola branca com luzes fluorescentes, também brancas, em sua aba. Parou o carro para melhor observar e viu abaixo desta, uma outra bola de luz menor pousada ao solo, na encosta de uma serra. A bola luminosa maior - que deveria ter as dimensões de um automóvel - flutuava silenciosamente, a metros, exatamente acima da menor. Ele conta que de repente, a bola maior soltou sobre a menor um feixe de luz, e através do mesmo a sugou para dentro de si. Tendo a bola de luz menor “entrado” para dentro da maior, esta começou a se movimentar e saiu voando lentamente, até se encobrir atrás do Morro do Bonfim, que pode ser avistado dos Paulas a alguns quilômetros adiante. O avistamento durou cerca de 10 minutos e a testemunha se encontrava a cerca de 200 metros do local em que os objetos luminosos fizeram evoluções. Fernando conta que se sentiu extasiado ao presenciar aquilo, mas não sofreu nenhuma espécie de queimadura nas retinas (comuns nesses casos), irritação nos olhos, tonteiras ou qualquer anomalia biológica.

 

PAIRA SOBRE 12 PESSOAS - Fernando conta que esta não é a primeira vez que presencia este tipo de fenômeno. Quando ele tinha 10 anos, em 1992, se encontrava com sua família acampados na conhecida Cachoeira das Piabas, no rio São João, divisa de Itaúna com Itatiaiuçu. Eram no total 12 pessoas e puderam observar uma estrela se destacando no horizonte. A luz, que a princípio se parecia uma estrela, veio se aproximando até chegar bem próximo deles. Ela pairou sobre eles na altura de um poste de energia elétrica (+ - 12-15m). Ele disse que todos ali entraram em pânico e o susto foi grande, inclusive, um de seus tios começou a passar mal. Ele conta que no momento que o objeto pairava silenciosamente sobre o acampamento deles sua mãe se aproximou para debaixo do objeto, no que ele segurou sua mão, com muito medo. Não puderam reparar maiores detalhes (Janelas, portas, etc) no que era objeto arredondado, segundo ele, maior que uma casa e que ofuscava uma intensa luminosidade branca. O UFO ficou sobre eles por um tempo de 5 a 10 minutos, até fazer um ruído, segundo ele, porque o objeto “parecia estar pesado” quando este subiu novamente e tomou rumo à direção oposta que veio, desaparecendo na distância.

 

UFO NA BARRAGEM DE GAFANHOTO – No dia 19/08/2002 várias pessoas em São José dos Salgados, distrito de Carmo do Cajuru, puderam presenciar uma insólita cena. Um autêntico disco voador pairava sobre a barragem de Gafanhoto. Esta barragem abastece de energia elétrica grande parte da região centro-oeste de Minas, incluindo Itaúna. Recebemos um telefonema de José, um amigo nosso, que se interessa pelo assunto e reside em Divinópolis. Segundo ele, sua esposa, Graça, e várias pessoas puderam observar o disco voador pairando distante, porém nitidamente, ao que parecia ser sobre a barragem de Gafanhoto. O UFO ficou imóvel no céu, deixando escapar um canudo de luz por sua parte inferior, impressionando a todos os presentes. Infelizmente não ninguém teve como fazer um registro documental do avistamento daquele objeto que desapareceu logo em seguida. Segundo as testemunhas o UFO ficou vários minutos imóvel no ar. Ainda sobre a região de Gafanhoto, nos chegou recentemente a informação de que uma pessoa daquela região presenciou a incrível entrada de um disco voador nas águas da barragem. Moradores daquelas imediações dizem que o aparecimento destes objetos misteriosos está cada vez mais freqüente naquele local.

 

AVISTAMENTOS INTENSIFICAM – É fato que cada vez mais, pessoas em todo o mundo avistam e toma ciência da existência de objetos voadores não identificados. De forma crescente, nos chegam relatos e fatos ocorridos aqui em Itaúna, o que nos faz supor estar ocorrendo também em várias localidades do planeta. O interesse pela ufologia cresce em todo o mundo e a curiosidade também. E assim, documentando avistamentos em diversas regiões do globo e estudando suas particularidades, muitos ufólogos e interessados pelo assunto ufologia, trazem a público esta grande realidade, ainda que acobertada por grossas camadas de mentiras plantadas por certas igrejas (que sabem bem do que se trata!) e pela maioria dos governos nacionais do planeta Terra.

 

* Pepe Chaves é editor de Via Fanzine e UFOVIA.

 

- Ilustração: "Reconstituição do Caso Paulas", por Pepe Chaves.

 

*  *  *

 

Itaúna/MG:

UFO foi filmado em Itaúna

Luz branca se movimentava na Mata da Onça, região de maior índice de avistamentos.

 

Por Equipe GEÚNA*

 

 

'A luz infla-se, às vezes desaparece e volta. Num lance raro, por duas vezes, aparece ao lado esquerdo da grande luz branca, outra menor, amarela; que pisca

e some. Disseram-nos que, a olho nu, via-se claramente, a pequena luz que fazia evoluções em torno da maior, parecendo, às vezes, adentrar a maior'

que se expandia nestes momentos.   (RECONSTITUIÇÃO)

 

 

FILMAGEM HISTÓRICA - Um registro histórico para a ufologia itaunense, é a filmagem de um OVNI na região da Mata da Onça em Itaúna, realizada por um cinegrafista amador M.L.S., residente na parte alta do bairro Padre Eustáquio (defronte à  serra Mata da Onça). A filmagem foi feita em abril/2000, num sábado em que M. e sua esposa não souberam precisar a data.

 

A esposa de M. já havia reparado as luzes sobre a serra em outras ocasiões, ao falar com o marido, ele nunca acreditava. No dia da filmagem, ela viu uma enorme luz branca pulsando sobre a Mata da Onça, chamou M. que viu e ficou encantado. Correndo, pegaram a filmadora e ficaram de meia-noite às duas da manhã filmando e observando; ela sumia e voltava, a filmagem capta apenas as partes em que ela está visível. Vê-se na filmagem, uma grande luz branca (filmada a cerca de 3km em linha reta), pela distância, aparenta ser muito grande.  A luz infla-se, às vezes desaparece e volta. Num lance raro, por duas vezes, aparece ao lado esquerdo da grande luz branca, outra menor, amarela; que pisca e some. Disseram-nos que, a olho nu, via-se claramente, a pequena luz que fazia evoluções em torno da maior, parecendo, às vezes, adentrar a maior, que se expandia nestes momentos. O cinegrafista tremeu um pouco, pois não tinha tripé, emocionado, lembrou-se de apoiar a câmera em algo, somente mais tarde. Céptico, ele não acreditava de forma alguma em Óvnis, mas sua filmagem o fez mudar de idéia.

 

O GEÚNA está de posse de cópia da filmagem (VHS), doada pelo cinegrafista, a fita original pertencente a M.L.S. e será guardada por ele. Esta filmagem representa o primeiro registro palpável (de que temos notícia) da presença extraterrestre em Itaúna. A TV Cidade de Itaúna exibiu as imagens em seu telejornal “Cidade em Notícias”, dias 12 e 15/05, mas infelizmente, não exibiu os momentos em que a pequena luz aparece em torno da maior.

 

A TV União, afiliada Rede Globo na região centro-oeste de Minas, também gravou matéria com Pepe Chaves e exibiu as imagens. A reportagem da Rede Globo foi feita na fazenda da Prefeitura de Itaúna, a Granja Escola São José, localizada em um dos flancos da serra Mata da Onça. A equipe de reportagem além de filmar a majestosa serra, colheu também, relatos de algumas testemunhas de avistamentos luminosos no local.

 

* GEÚNA é Grupo de Estudos Ufológicos de Itaúna/MG.

- Reconstituição: Pepe Chaves.

 

*  *  *

 

Lavras/MG:

UFOs deixam marcas no solo de Lavras/MG

Ufo foi observado por membros do grupo ufológico.

Por Equipe GEUL*

 

 

 

'A vegetação estava amassada formando

um semi círculo totalmente queimada

e o mais estranho foi que isto, se deu

na vegetação dentro de um brejo, local

totalmente alagado. Chegamos a entrar

dentro do brejo e colhemos amostras da

vegetação. O que também nos chamou

a atenção, foi uma pequena árvore no

meio do brejo, totalmente carbonizada,

logo chegamos a conclusão de que seria

impossível alguém produzir aquilo'

 

REGISTROS DE CAMPO - No dia 14 de fevereiro de 2000 presenciei juntamente com alguns colegas de sala de aula do colégio CNEC a aparição de um UFO discóide  prateado voando baixo na Estrada do Madeira que liga Lavras à Ribeirão Vermelho. Era por volta das 10h20 da manhã, quando ao olhar pela janela da sala notei o UFO voando muito baixo, próximo a um extenso pasto. Logo chamei meus colegas para verem também e ficamos admirados com aquele objeto que parecia estar procurando algo, devido sua baixa altitude quase tocando ao solo. Pelo que deu para perceber, o terreno daquele local é uma imensa descida, formando um colo ao fundo, quando o UFO aproximou-se daquele colo, perdemos totalmente a visão do objeto. Devido a vários declives do local que é muito acidentado. Fiquei na expectativa do término da aula para que pudesse comunicar o fato aos demais integrantes do Grupo GEUL. Após o término da aula, liguei para o presidente do grupo, o ufólogo Adriano Santos Ferreira para relatar o ocorrido.

 

Imediatamente o presidente do grupo acionou os demais integrantes e fomos até o exato local da aparição. Chegando ao loca, pudemos comprovar uma trilha deixada pelo objeto. Em todo o seu percurso, foi constatada queima parcial da vegetação, parecendo ter sido desidratada e exalando um forte cheiro de queimado. Chegamos então a parte baixa do pasto, onde constatamos a vegetação totalmente amassada e queimada. Parece que o objeto ficou parado ali por alguns minutos e o mais interessante foi o exato local onde o provável UFO parou por alguns instantes. A vegetação estava amassada formando um semi círculo totalmente queimada e o mais estranho foi que isto, se deu na vegetação dentro de um brejo, local totalmente alagado. Chegamos a entrar dentro do brejo e colhemos amostras da vegetação. O que também nos chamou a atenção, foi uma pequena árvore no meio do brejo, totalmente carbonizada, logo chegamos a conclusão de que seria impossível alguém produzir aquilo.

 

Começamos novamente a procurar indícios em todo pasto e encontramos duas marcas estranhas no solo, dois círculos com 13 cm de diâmetro cada (foto). Parecia que a terra foi sugada por algum tipo de bomba, pois, os círculos não pareciam ter sido feitos com alguma ferramenta manual, que obviamente, deixaria marcas, ou, algum animal. Procuramos então o Departamento de Veterinária da UFLA para esclarecermos, se teria possibilidade de ser patas de algum animal conhecido. Para nossa surpresa, um dos veterinários com quem conversamos, descartou a possibilidade de ser alguma pegada deixada por um animal. E por local das marcas não apresentarem mais evidências de pegadas (somente os dois círculos e as nossas pegadas) fotografamos o local. Procuramos também, o Departamento de Análises de Solos, para sabermos se existia a possibilidade de tratar de um fenômeno natural, possibilidade que foi descartada, devido ao clima seco daquele mês.

 

* GEUL é Grupo Ufológico de Lavras/MG - geul@globo.com

- Ilustração: Pepe Chaves.

 

 

 

*  *  *

 

 casuística internacional:

 

 

Andorra/Espanha:

Alienígenas curam 4 crianças de câncer*

Esse é o incrível relatório de 14 doutores altamente respeitados

e membros do Pyrenees Hospital de Los Niños em Andorra, Espanha.

'Os alienígenas estavam ao lado da cama.

Parecia existir um laço místico entre eles e o menino.

Um dos seres tocou a testa de Juan, com suavidade, com seu dedo longo

e ele foi cercado imediatamente por uma luminosa aura.

Quando os alienígenas deixaram o hospital, os doutores radiografaram

e examinaram Juan. Ele estava completamente livre do câncer'

 

               

 

MÉDICOS EXTRATERRESTRES - Eles viram extraterrestres de 1,5m de altura usar seu poder de cura em quatro crianças doentes terminais, no período de um mês. “Eu não pude acreditar em meus olhos, disse a enfermeira noturna Lupe Montoya que estava trabalhando no setor de oncologia do hospital das crianças, durante a primeira visita alienígena. “Eu estava preenchendo relatórios, quando vi que eles não eram humanos. Tinham uma cor castanha, com cabeça e olhos amendoados grandes. Eles não pareciam como nada encontrado neste planeta. Eu tive medo porque eles pareciam muito misteriosos. Mas ao mesmo tempo eu sentia um tipo de inteligência amorosa nesses estranhos olhos”.

 

Segundo a enfermeira Montoya, as criaturas entraram no quarto de Juan Lopez, um menino de 7 ano, que esperava-se que morresse de leucemia dentro de uma semana. Ela alertou o guarda de segurança e chamou o Dr. Tomaz Ruiz que estava cuidando de outro paciente. “Quando caminhamos em direção ao pequeno Juan, seu quarto estava banhado de uma luz dourada brilhante”, disse o Dr. Ruiz. Os alienígenas estavam ao lado da cama. Parecia existir um laço místico entre eles e o menino. Um dos seres tocou a testa de Juan, com suavidade, com seu dedo longo e ele foi cercado imediatamente por uma luminosa aura. Quando os alienígenas deixaram o hospital, os doutores radiografaram e examinaram Juan. Ele estava completamente livre do câncer.

 

Desde aquela noite, Maria Muñoz, 9 anos; Anita Pena, 8 anos e Hector Gomez, 9 anos, todos diagnosticados como doentes terminais, também foram curados pelas criaturas desconhecidas. Os 14 membros do staff do hospital viram seres executar os milagres. “Há um padrão para essas visitas”, diz Dr. Ruiz. “Elas sempre acontecem ao redor de 1h da manhã, os alienígenas sempre entram em pares e sempre curam com um toque na testa”, finaliza.

 

* Texto editado na íntegra do jornal "Filhos do Sol', de Belo Horizonte/MG.

- Ilustração: Pepe Chaves.

 

*  *  *

 

          

   

  UFOVIA - ANO 5 

   Via Fanzine   

 

 Produced in Brazil - © Copyright, Pepe Arte Viva Ltda. Reservados todos os direitos dos autores e produtores.  All rights reserved©

Motigo Webstats - Free web site statistics Personal homepage website counter