EROVIA

ARQUEOLOVIA

ASTROVIA

DORNAS DIGITAL

ITAÚNA FANZINE

J.A. FONSECA

UFOVIA

VIA FANZINE

          

Iará Crís

 

Cansei

Enxuguei minhas lágrimas
Rasguei minha fantasia de super heroína
Ergui a cabeça e fui embora...

 

Por Iará Crís*

De São Tomé das Letras-MG

Para Via Fanzine

02/02/2022


Do arquétipo da mulher maravilha eu cansei
Cansei de lutar, me rasgar e colocar o sorriso no rosto
Só para meus filhos não me verem chorar
Cansei de esconder minhas lágrimas, minhas angústias
Cansei de esconder minhas fragilidades
Cansei de me colocar falsamente em um altar
Só para não ouvir mais uma vez da sociedade - pare de ser mole, você tem que ser forte
Cansei de esconder as dores só para aplausos ouvir
De quem por trás no fundo queria só criticar.

Quer saber, cansei
Larguei, não aguentei e é isso
Na verdade sou apenas humana
Não tenho super poderes, sou uma mulher resistente e resiliente
Porém frágil nos sentimentos e nas emoções.

Tive que soltar casamento que não servia mais
Reestruturar uma vida de mãe solteira
Recomeçar do menos zero, carregando as crias nas costas doloridas e não resisti
Tive que os deixar, talvez das dores mais sofridas
Não conseguir carregá-los até que andassem com as próprias pernas
E tive que partir, pois eu não podia mais
E nesse dia eu desabei e chorei o choro do fracasso
Nesse dia pensei: na missão de mãe eu fracassei.

Enxuguei minhas lágrimas
Rasguei minha fantasia de super heroína
Ergui a cabeça e fui embora
Para viver um recomeço solitário e só meu
Um corpo forte, porém cansado
As emoções destruídas e um coração partido.

Sim, eu me levantei, eu recomecei
Me reestruturei
Mas o tempo havia passado
As feridas foram cicatrizadas, mas marcaram fundo o meu ser
Quando reencontrei meus filhos os olhos já não eram tão inocentes
Doeu, e chorei, por que sou humana e tenho sentimentos
E cansei, rasguei, joguei fora
A fantasia que não me servia mais
Simplesmente eu cansei.

 

* Iará Crís é Terapeuta Holística e Integrativa, Facilitadora de Cura e Consciência.

 

- Imagem: Divulgação.  

 

*  *  *

 

Sair do casulo:

Analogia entre renascer, vida e escalada

 

Por Iará Crís*

De São Tomé das Letras-MG

Para Via Fanzine

28/09/2021

 

 

Vento de mudança: é esse o que sopra no momento na montanha mágica neste equinócio de primavera! Shiva já apareceu diversas vezes para mim nos últimos tempos anunciando: sua situação atual vai mudar. Tenho plena confiança e consciência que será para melhor, mas hoje levo uma vida tão maravilhosa e utópica na montanha mágica, que é difícil ter esse desprendimento do agora.

 

Mudar de nível de consciência é isso – estar confortável em certo patamar, e, como na escalada, onde ficam gritando no seu ouvido: logo acima da sua cabeça tem uma agarra boa, é só achar e subir, mas ali a alguns bons metros de altura em uma parede negativa, não dá para enxergar com os olhos, e é apavorante você dar o impulso e agarrar aonde não se vê.

 

Assim é a intuição, ela dizendo para ir em frente, sem enxergarmos o próximo passo, mas podemos ir em frente que vai dar certo. Atingir esse grau de confiança é algo extraordinário. Mudar de estagio de consciência, ir para o próximo, é tão complexo e natural quanto uma borboleta sair do casulo.

 

Imaginem a dor e esforço que aquele aparente corpo frágil da antiga lagarta faz para renascer e mostrar suas novas asas. Sim, ele teve que largar seu antigo padrão, parou de rastejar, construiu um lindo mundinho aonde pode se desenvolver, e agora, tem que rasgá-lo para continuar sua jornada.

 

Será que ali dentro ela imagina que ao passar por aquela dor do renascimento, ela abrirá lindas e novas asas e poderá voar? Talvez ela não tenha essa visão, mas dentro dela há um instinto que diz: rasgue sua zona de conforto e vá em frente.

 

O resultado já sabemos!! Sopram novos ventos, largue o antigo padrão, solte corajosamente o que não te serve mais, galgue um novo degrau, e passe para o seu novo estágio de vida, que certamente, será maravilhoso!

 

* Iará Crís é Terapeuta Holística e Integrativa, Facilitadora de Cura e Consciência.

 

- Imagem: Divulgação.  

 

*  *  *

 

Independência

 

Por Iará Crís*

De São Tomé das Letras-MG

Para Via Fanzine

08/09/2021

 

 

Independente de qualquer coisa, ela sonhou

Independente de qualquer coisa, ela acreditou

Independente de qualquer coisa, ela fez, e conseguiu

 

Sociedade amarrada

Narizes torcidos

Olhares tortos

A chamaram de louca

Ela não ligou

E na sua coragem

Ela sorriu e foi

 

Feito ovelha negra subiu a montanha mágica

Cheia de sonhos e certezas intuitivas

Ela sorriu e foi

 

E dentro de sua independência solta ao vento

Hoje sim, independente de qualquer coisa

Ela é feliz.

 

* Iará Crís é Terapeuta Holística e Integrativa, Facilitadora de Cura e Consciência.

 

- Imagem: Divulgação.  

 

*  *  *

 

A coragem da arte do soltar

 

Por Iará Crís*

De São Tomé das Letras-MG

Para Via Fanzine

1º/09/2021

 

 

Soltei e tudo veio.

 

Nada ficou, nada que não fosse da minha energia, do meu aprendizado.

 

Vivia uma vida presa em um corpo que não me servia mais, em um padrão de vida que não mais me pertencia, em um relacionamento acabado, uma vida cansada, chorei, larguei e deixei ir. Doeu e doeram muito, feridas abertas, e depois cicatrizadas, mas ao invés de segurar a faca cortante, soltei, e deixei ir, desisti, soltei.

 

Vazio: esse foi um dos primeiros sentimentos, dor: sim, doeu e depois veio a coceira da cicatrização: nada mais que o corpo se regenerando, se mexendo para que o novo se refizesse, e sim, incomodou, mas cicatrizou.

 

Não mais com vontade de ficar no mesmo lugar eu fui, me retirei de cena, larguei o antigo cenário em que eu há tempos não me ajustava mais, confiei cegamente na minha intuição e, quer saber? Deu certo.

 

Aprendi muito, me libertei. Deixar corajosamente ir tudo que não me servia mais me fez enxergar a minha energia, pois só ficou o que realmente é meu, e o que eu sou.

 

Hoje todas as minhas necessidades são atendidas, não me prendo a mais nada, confio em mim, na minha vibração, na minha intuição, e assim, vivo a vida que pedi ao Universo.

 

Hoje vivo a coragem da arte do soltar, e sim, assim sou feliz!

 

* Iará Crís é Terapeuta Holística e Integrativa, Facilitadora de Cura e Consciência.

 

- Imagem: Divulgação.  

 

*  *  *

 

Escalada x amor

Na escalada amorosa da vida choramos e sorrimos.

 

Por Iará Crís*

De São Tomé das Letras-MG

Para Via Fanzine

24/08/2021

 

 

As pedras cortam as mãos, assim como nossos corações por inúmeras vezes foram partidos. Mas por isso desistimos? A resposta é não. Se nos machuca, então por que não paramos?

 

Sábia analogia entre o esporte e o amor, é comparar como cada obstáculo tem que ser vencido. Algumas subidas mais fáceis, mas a maioria, como novatos, não conseguimos “mandar de primeira”.

 

As pedras cortam as mãos, assim como nossos corações por inúmeras vezes foram partidos. Mas por isso desistimos? A resposta é não. Se nos machuca, então por que não paramos?

 

O ímpeto de superarmos o desafio é mais forte do que as dores dos cortes. Caímos, mas não desistimos. A frustração de não completarmos uma via é grande, então lá vamos nós novamente, sem desistirmos do objetivo, que além do cume, é o aprendizado, o desafio, o frio na barriga.

 

As feridas geram cicatrizes, algumas tão profundas que mesmo depois de curadas ficam sensíveis pelo resto da vida – ao serem tocadas, sangram, mas fecham novamente, e o medo de sangrarem novamente é grande, mas lá vamos nós tentarmos de novo insistentemente, até conseguirmos.

 

Desânimo? Não, isso não faz parte do nosso vocabulário. Desafio feito, vamos lá escalar na montanha das emoções, e se dessa vez não der certo, em breve dará.

 

Estaremos mais ágeis da próxima vez, tanta sabedoria esse aprendizado trás, que a próxima subida pode ser que esteja até em um grau de dificuldade acima do desafio anterior, mas a leveza desenvolvida com tanto treino, trará a certeza, a segurança e a perspicácia de chegar ao topo, e ser feliz!

 

 

* Iará Crís é Terapeuta Holística e Integrativa, Facilitadora de Cura e Consciência.

 

- Imagem: Divulgação.  

 

*  *  *

Erros e evolução

 

Por Iará Crís*

De São Tomé das Letras-MG

Para Via Fanzine

02/08/2021

 

Erros acontecem, eu sei

Sei que errei e machuquei

Sei que tomei rumos errados

Ah, agora eu sei!

 

Feridas em mim mesmo

Feridas no meu irmão

Meu passado me condena?

Agora peço perdão!

 

Momento inconsciente?

Ou consciência do momento?

Faz parte da experiência humana

Sim, eu errei

Agora eu sei!

 

Reconheço meu erro

Vejo a minha evolução

Se ontem cometi o erro

Hoje aprendi a lição

 

Hoje sinto gratidão

Perdoo meu eu do passado

Por estar degrau acima

Daquele momento de desilusão

Hoje não mais me machuco

Nem machuco meu irmão.

 

* Iará Crís é Terapeuta Holística e Integrativa, Facilitadora de Cura e Consciência.

 

- Imagem: Divulgação.  

 

*  *  *

 

O encontro com o Gênio da Lâmpada

 

Por Iará Crís*

De São Tomé das Letras-MG

Para Via Fanzine

11/07/2021

 

 

 

Enxerguei além das leis desse mundo
Foi visão que tocou profundo
Mudou o conceito de como viver
Neste planeta de tanto bem querer.

Com a confusão mental logo me deparei
O maior desafio que encontrei
Que coisa esquisita, será que pirei?


Desse devaneio aí despertei
Ignorantemente, instantaneamente

Logo pensei:
Ah, agora eu já sei!
E foi aí que tropecei.

 

Com o rosto esfolado me levantei
Indignada logo indaguei:
Não era mentira esse corpo de terceira dimensão?
Por que dói esse corpo que não existe, disseram ser massa de pura ilusão.

 

Saiu um gênio de uma bela lâmpada
Rindo em gargalhadas da minha ignorância
Colocou um espelho em minha frente
Confundindo a minha “tão certa” mente.

 

Mostrou-me o corpo frágil do meu avatar
Que minha consciência está a habitar
É esta dimensão que deve observar
É este o mundo que você vai trabalhar
É este o corpo que tem que amar
Disse o gênio a gargalhar
E eu, boba, me pus a chorar.

 

Reação essa o gênio não esperava
Olhar a menina que copiosamente chorava
Abriu seu mole coração
Que logo se encheu de compaixão.

 

 

 

Menina não chore
Te dou um presente
Levantei com olhar surpreendente
O que tem para mim gênio querido?
Vai curar meu rosto ferido?

 

Dentro dos meus olhos o gênio mirou
Impressionado com o que ali avistou
Não só três- todos os desejos te dou

 

Armadilhas do Ego terá que enfrentar
Para seu desejo se realizar
Não pode essa regra ignorar
Se o fizer novamente irá tropeçar
E de novo irá se machucar

 

Inocente a menina logo se alegrou
Logo seu primeiro desejo se realizou
Egoicamente se achava a mais sábia
Então novamente logo tropeçou

 

O gênio amoroso de braços cruzados
Com olhar bem congelado
Enfatizou veementemente
O Ego é a mais perigosa serpente

 

Abaixei a cabeça e mirei a lâmpada.
Que presente traiçoeiro
Desejo feito com o Ego
Pode ser o derradeiro.

Guardei a lâmpada, fiquei feliz
Finalmente reconheci
Neste mundo estou aqui
Com consciência de eterno aprendiz.

 

Será que o Ego eu já venci?
Só o meus próximos passos mostrarão
Mas vou vivendo nesse mundo
Com a mais pura Gratidão.

 

* Iará Crís é Terapeuta Holística e Integrativa, Facilitadora de Cura e Consciência.

 

- Imagem: Divulgação.  

 

*  *  *

 

Dança Deusa

 

Por Iará Crís*

De São Tomé das Letras-MG

Para Via Fanzine

27/06/2021

 

 

 

Ó, linda Deusa celeste

Expressada no corpo feminino

Que guarda um ventre que veste

O portal deste mundo Divino

 

Vibra quadril balançante

Reverenciando a Deusa dançante

Liberando os medos do passado

Acordando o corpo estagnado

 

Ondula para trás curando feridas

Circula para frente trabalhando a vida

Abaixa com jeito seguro

Avançando no presente tão duro

 

Sacode os ombros latentes

Solta as mágoas passadas

Mexe para frente

Desestagna o presente

 

Gira o corpo para a direita

Trabalhando o espiritual

Gira a cabeça para a esquerda

Energizando o material

 

Ondula infinito o peito parado

Para trás perdoando o passado

Inclinando para cima expressando a gratidão

Curando este corpo sagrado

Com o verdadeiro perdão.

 

 

* Iará Crís é Terapeuta Holística e Integrativa, Facilitadora de Cura e Consciência.

 

- Imagem: Divulgação.  

 

*  *  *

 

Deixar ir

 

Por Iará Crís*

De São Tomé das Letras-MG

Para Via Fanzine

19/06/2021

 

 

Deixar ir

Deixei-te ir para que não me machuques mais

Deixei-te ir para meu coração não ficar mais dilacerado

Deixei-te ir para curar meu corpo já cansado

 

Meu projeto vi tão lindo

Planos que eram tão bem vindos

Certo dia se perderam

E um horizonte sem fim

Pelas mãos de um Serafim

 

Sim, foi anjo que levou

Utopia vaidosa

Cai o véu e aparece

A mais linda e frondosa

Realidade amorosa

 

Hoje vivo tão feliz

Como bela flor de lis

Mas coração com cicatriz

De eterno aprendiz...

 

* Iará Crís é Terapeuta Holística e Integrativa, Facilitadora de Cura e Consciência.

 

- Imagem: Divulgação.  

 

*  *  *

 

Oportunidades:

Limão Siciliano Mágico

A vida é assim, cheia de oportunidades de ouro que passam diante dos nossos olhos, e nós, esperando o “tal” momento certo, ou achando que a situação irá durar para sempre, deixamos sempre para depois, e o que acontece? A oportunidade passa...

 

Por Iará Crís*

De São Tomé das Letras-MG

Para Via Fanzine

12/06/2021

 

A três semanas atrás, ganhei um saco cheio de limões de várias espécies, mas somente um me chamou atenção: um limão siciliano.

 

Atualmente moro em uma cidade de interior de Minas Gerais: São Thomé das Letras, apelidada carinhosamente por mim de “Mundo de Nárnia” – fazendo analogia a um filme aonde os protagonistas entram em um guarda roupa e saem em um mundo mágico. Aqui há muitas propriedades rurais, aonde safras de algumas frutas são abundantes, e acabamos ganhando muitas delas dos nossos queridos vizinhos.

 

A três semanas atrás, ganhei um saco cheio de limões de várias espécies, mas somente um me chamou atenção: um limão siciliano. Fiquei maravilhada e logo lembrei quando custava o quilo desta iguaria na cidade de São Paulo. Coloquei-o na cesta de frutas em meio aos outros, e todo dia dava apenas uma olhadinha para ele, e ficava pensando: “em uma ocasião especial, em um prato bem gostoso e único, no momento certo, eu irei consumi-lo”. E nisso, o tempo foi passando, eu olhava para ele todos os dias, e nada de chegar esse tal momento especial.

 

Eis que chega um dia, e ao olhar para o tal limão especial, ele estava estragado! Nossa que tristeza. Como eu deixei isso acontecer? Fiquei arrasada, deixei de usar um ingrediente tão nobre, saboroso, caro e único, e ele estragou bem debaixo dos meus olhos. Fiquei triste com isso a ponto de deixar para lá, decidi nem mais olhar para ele naquele dia, tamanha decepção comigo mesma por ter feito dois malefícios: deixei de usufruí-lo e ele deixou de ter sido útil. Mas, lembram que eu disse que moro no Mundo de Nárnia? No dia seguinte, eu fui recolhê-lo para jogá-lo fora e para minha imensa surpresa, ela não estava estragado, um pequeno milagre aconteceu! Imaginem a minha surpresa e a minha felicidade! Será que ele sentiu a minha tristeza e o meu arrependimento e voltou no tempo, dando-me mais uma chance de fazer o correto?

 

Reflexão:

 

A vida é assim, cheia de oportunidades de ouro que passam diante dos nossos olhos, e nós, esperando o “tal” momento certo, ou achando que a situação irá durar para sempre, deixamos sempre para depois, e o que acontece? A oportunidade passa, e depois, nos arrependemos sentindo-se culpados e nos resta só a tristeza de não tê-la aproveitado, sem ao menos ter uma segunda chance, pois na real o tempo não volta, a não ser aqui, no meu fantástico Mundo de Nárnia, aonde tudo é possível.

 

Qual é a grande oportunidade que está agora diante dos seus olhos, e você está deixando passar? Não deixe de viver o melhor momento, que é o agora.

 

* Iará Crís é Terapeuta Holística e Integrativa, Facilitadora de Cura e Consciência.

 

- Imagem: Divulgação.  

 

*  *  *

 

Sentimentos:

Falar e ouvir

Hoje, o que mais vejo são relações acabadas pelo simples fato de não falar, não compartilhar seus próprios sentimentos. E aí, a distância se faz concreta, e quando esse sentir extrapola a alma, ele sai em formato de grito, de desrespeito e de agressão, causando dor entre as partes!

 

Por Iará Crís*

De São Tomé das Letras-MG

Para Via Fanzine

04/06/2021

 

Admita o que está sentindo, olhe para si, se reconheça e reconheça seu sentimento.

 

Admitir os sentimentos, eita coisa complicada. Não só para si, mas para o outro, pior ainda. Verbalizar o que se sente não seria mais fácil? Ficaria mais explícito, não deixaria a situação “embarrigar” para depois explodir.

 

Hoje, o que mais vejo são relações acabadas pelo simples fato de não falar, não compartilhar seus próprios sentimentos. E aí, a distância se faz concreta, e quando esse sentir extrapola a alma, ele sai em formato de grito, de desrespeito e de agressão, causando dor entre as partes!

 

Mais difícil que admitir, é reconhecer o que se está sentido! Ser humano, quanta falta de olhar para si! E quanta falta de compreender o outro também! Dar ouvidos ao seu parceiro seja companheiro de vida, seu irmão ou sócio, hoje em dia está virando artigo de luxo.

 

Todos pensando em si, sem agir em conjunto, e assim não dá. Admita o que está sentindo, olhe para si, se reconheça e reconheça seu sentimento. Pergunte ao seu parceiro como ele está, ou se não for uma pessoa fácil de verbalizar, perceba, e tenha um pouco de empatia, muitas vezes estamos apenas cansados.

 

Verbalize, aprenda a expressar em forma de palavras simples o que está sentindo, não complique o descomplicado, nada é mais bonito que a verdade e a transparência. E se não der mais, solte, confie em soltar, logo ali na frente, com certeza há algo melhor, se a vida não fosse assim, não seria tão belo viver, e na primeira ruptura, no primeiro adeus, todos desistiriam da nobreza de ser feliz!

 

* Iará Crís é Terapeuta Holística e Integrativa, Facilitadora de Cura e Consciência.

 

- Imagem: Divulgação.  

 

*  *  *

 

Coragem e medo: 

Para que serve o medo?

Medo de mudar de profissão, de mudar de cidade, de mudar o rumo da vida, de se apaixonar, de amar! E se com isso vier o sofrimento? O medo te impede de viver plenamente.

 

Por Iará Crís*

De São Tomé das Letras-MG

Para Via Fanzine

23/05/2021

 

Coragem é a grande capacidade de enfrentar os seus medos, e desejo a você, coragem.

 

O medo é um protetor natural da vida. Ele que te impede de pular do avião sem paraquedas, ele é certo aviso para o perigo iminente, ele faz com que você queira proteger seu corpo e sua alma. Mas também, pode ser o seu maior vilão.

 

Nosso Ego é como um pai super protetor – ele não quer que você saia da sua zona de conforto, é como a história do sapo na panela de água quente: se você colocá-lo na água morna e deixa lá aquecendo lentamente, ele não sairá, e irá morrer simplesmente pelo fato de não saber a hora certa de pular fora.

 

O Ego é o responsável pelo seu medo.

 

Medo de mudar de profissão, de mudar de cidade, de mudar o rumo da vida, de se apaixonar, de amar! E se com isso vier o sofrimento? O medo te impede de viver plenamente.

 

Desconhecido. Essa palavra te traz a sensação do medo?

 

Reza a lenda que atrás de uma montanha morava um dragão enorme, que dizimaria a vida de quem a ultrapassasse. Certo dia, um ermitão da cidade cansou de sentir esse medo e decidiu que nada mais teria a perder, resolvendo atravessar o caminho, pois do jeito que estava de nada valia sua pobre vida. Ao ultrapassar uma densa mata, ele subiu a tão temida montanha com muito sacrifício. Durante o trajeto, só pensava que o final já estava próximo, logo sua sofrida vida chegaria ao fim e em sua tela mental, passavam as cenas das diversas possibilidades de como seria seu trágico final.

 

Lembrava também dos poucos momentos bons de sua vida, e mais ainda, de como seu dia a dia era melancólico – acordava, pedia esmolas, comia se houvesse alimento, e muitas vezes passava frio. Pela primeira vez, estava sendo seu primeiro ato de coragem. Ao chegar ao topo, teve imensa surpresa – ao invés de se deparar com um dragão, avistou um lindo rio com imensa cachoeira, e atrás da queda d’água dentro de uma caverna algo estranho fazia sombra.

 

Pensando em enfrentar o dragão, pois a finalidade era mesmo acabar com o sofrimento do marasmo da vida, com toda coragem se aproximou, e chegando mais perto mergulhou sentindo aquela água cristalina bater fortemente sobre sua cabeça e ombros. A sensação de prazer foi tão grande que ele despertou. Arrependeu-se de ir de encontro com a morte, teve ímpetos de voltar, ele queria viver. Mas era tarde, já estava do outro lado, e foi muito difícil abrir seus olhos para enfrentar a morte. Ele tremia de frio, de medo e de arrependimento, mas achou estranho quando nada aconteceu.

 

Então, encheu o peito de coragem e ah, que surpresa!  Avistou a mais linda criatura de todos os tempos, um lindo Unicórnio!  Maravilhado, ele se aproximou, acariciou o rosto do lindo animal, se sentiu grato pela nova chance, montou na criatura alada e saiu voando para desbravar novos horizontes!

 

A coragem é a grande capacidade de enfrentar os seus medos, e desejo a você, coragem. Lembre-se sempre desta frase: OS SEUS MEDOS PODEM SER A SUAS MAIORES POTÊNCIAS.

 

* Iará Crís é Terapeuta Holística e Integrativa, Facilitadora de Cura e Consciência.

- Imagem: Divulgação.  

 

*  *  *

 

Paixão x Amor

 

Por Iará Crís*

De São Tomé das Letras-MG

Para Via Fanzine

18/05/2021

 

 

Aquele sentimento louco avassalador,

que toma o seu Ser corrói sua Alma,

suga sua essência e perturba sua mente.

Vai de zero a cem quilômetros como uma serpente,

queimando seu coração meio que de repente!

 

Amigo chamo isso de paixão,

aquele pensamento insistente,

que corrói seu coração.

 

O amor não é assim.

É um sentimento de ternura,

muitas vezes construído,

muitas vezes possuindo,

a visão de pura ternura,

de uma bela criatura.

 

O amor é bem assim,

amizade que não tem fim,

cumplicidade do Ser que tem,

aquele sentimento de querer bem.

 

O amor é mar sem fim,

corredeira no meu jardim,

que admiro sem prender,

meu mais lindo bem querer.

 

* Iará Crís é Terapeuta Holística e Integrativa, Facilitadora de Cura e Consciência.

- Imagem: Divulgação.  

*  *  *

 

Um dia especial:

Mãe...

 

Por Iará Crís*

De São Tomé das Letras-MG

Para Via Fanzine

09/05/2021

Mãe mulher com graça e vigor,
tão bela como uma flor,
que me ama com fulgor,
com seu eterno dispor,
de cuidar do seu grande amor.

Mãe uma rosa eterna e linda,
como a chama cristalina,
de uma vela maestrina,
que reluz eterna e Divina.

Ah, mãe se eu pudesse,
retribuir tudo que fizeste,
dinheiro algum pagaria,
tamanho dom da maestria,
de cuidar da sua cria.

Mamãe querida eu te amo,
todo dia a Deus eu clamo,
a dádiva de poder,
um dia retribuir,
seu Divino bem querer.

 

* Iará Crís é Terapeuta Holística e Integrativa, Facilitadora de Cura e Consciência.

 

- Imagem: Divulgação.  

 

Leia também:

Outros destaques em Via Fanzine

 

- Produção: Pepe Chaves.

© Copyright, Pepe Arte Viva Ltda.

 

*  *  *

 

Reflexões:

Dilema

Um dilema sem fim,

Viver em um mundo,

Com um corpo de terceira dimensão,

Aonde o físico clama pela beleza extrema,

Mas a alma diz que você me completa...

 

Por Iará Crís*

De São Tomé das Letras-MG

Para Via Fanzine

1º/05/2021

 

 

Além do olhar físico tu me completas,

Com o sentimento que te olho,

Tu me completas,

Te olho com os olhos do coração,

e sei que tu me completas.

 

No dilema entre físico e energético,

Tem sido difícil admitir,

O quanto tu me completas...

 

Um dilema sem fim,

Viver em um mundo,

Com um corpo de terceira dimensão,

Aonde o físico clama pela beleza extrema,

Mas a alma diz que você me completa...

 

Dói admitir o abandono do físico,

Isso é assumir o espiritual,

A expansão mental dilacera o pensamento,

Mas sei que tu me completas...

 

E o dia em que eu tomar coragem,

De deixar meu Eu superior dominar meu Ego,

O dilema cessará e a alma prevalecerá,

Vou assumir o meu amor por você,

Porque eu sei, que no fundo do meu coração,

Tu me completas.

 

* Iará Crís é Terapeuta Holística e Integrativa, Facilitadora de Cura e Consciência.

 

- Imagem: Divulgação.  

 

Leia também:

Outros destaques em Via Fanzine

 

- Produção: Pepe Chaves.

© Copyright, Pepe Arte Viva Ltda.

 

*  *  *

 

Dádiva:

Amor Divino

E cada segundo de amor Divino é uma dádiva a ser agradecida, por poder estar neste momento, por estar vivendo plenamente cada segundo a beleza de amar, um dos grandes presentes por estar na condição humana é amar divinamente.

 

Por Iará Crís*

De São Tomé das Letras-MG

Para Via Fanzine

24/04/2021

 

As mãos se encostam, os lábios se tocam, a temperatura e os batimentos se igualam, os corpos misturam, as auras se fundem e a energia de dois se torna única, nem que for só por um momento, é certeza: amor Divino.

Leia também:

Outros destaques em Via Fanzine

 

Aquele encontro de almas com o cruzar dos olhares, e pensar: eu acho que já te conheço, sim, é amor Divino.

 

O amor Divino é aquele que vem não só de dentro do coração, é aquele que surge da alma.

 

A admiração se faz, a beleza vai além do físico, o cheiro é bom, o corpo esquenta, ah, é amor Divino.

 

Quando a pele arrepia, o peito palpita forte, as mãos suam, a respiração acelera e as pupilas se dilatam, não se engane, é amor Divino.

 

As mãos se encostam, os lábios se tocam, a temperatura e os batimentos se igualam, os corpos misturam, as auras se fundem e a energia de dois se torna única, nem que for só por um momento, é certeza: amor Divino.

 

E cada segundo de amor Divino é uma dádiva a ser agradecida, por poder estar neste momento, por estar vivendo plenamente cada segundo a beleza de amar, um dos grandes presentes por estar na condição humana é amar divinamente.

 

Desejo-te essa forma de olhar e poder gozar do amor Divino nesta existência, nem que seja só por um segundo, para que tua experiência Terrena realmente valha a pena.

 

* Iará Crís é Terapeuta Holística e Integrativa, Facilitadora de Cura e Consciência.

 

- Imagem: Divulgação.  

 

Leia também:

Outros destaques em Via Fanzine

 

- Produção: Pepe Chaves.

© Copyright, Pepe Arte Viva Ltda.

 

*  *  *

 

Vida real:

Fragilidade Masculina

Eles mantêm cicatrizes profundas e aparentes, e ainda não aprenderam a se auto regenerar, e elas podem sim, voltar a sangrar!

 

Por Iará Crís*

De São Tomé das Letras-MG

Para Via Fanzine

19/04/2021

 

Realmente, as mulheres são diferentes! Elas se machucam, mas a capacidade de regeneração delas é muito maior, a mulher ao longo dos anos se tornou tão forte, tão bruxa, que a cicatriz do seu coração se torna apenas linha tênue.

Leia também:

Outros destaques em Via Fanzine

 

Ele também é frágil.

 

Ele teve que partir para a guerra, e deixar o conforto de seu lar, sua esposa e seus filhos, para ferir outro ser humano, e ter seu corpo ferido, sem nada poder reclamar.

 

Ele também terminou um relacionamento, ele também foi abusado mentalmente, ele foi agredido sentimentalmente, foi acusado do que não fez, e ele sentiu, mas teve que sentir calado, pois teve que ser homem com “H” maiúsculo, pois homem não chora.

 

Na separação, teve que dividir o que foi conseguido na vida, e também sentiu a perda de seus bens materiais.

 

No desemprego, viu sua capacidade de sustentar sua família ir pelo ralo, e se sentiu paralisado para continuar, paralisado pelo medo, paralisado pela incerteza, e viu sua companheira tomar partido da família, e isso doeu, e tirou sua potência, ah, como doeu! Mas ficou no canto, com olhar perdido e sem nada poder falar, porque afinal, homem não pode chorar!

 

No término da família, teve que ver seus filhos partirem junto com sua antiga companheira, e doeu, doeu muito, mas teve que se manter firme, e talvez, a frieza que sobrou foi apenas o fruto de um coração partido e muito machucado, que endureceu para não sofrer tanto.

 

Sim, no fundo ele gostaria de um novo relacionamento, mas, olhando por dentro, o medo de sofrer novamente o fez duro e gelado, como uma grossa camada de defesa pessoal. Ali dentro daquele peito aparentemente forte e frio, há um coração machucado, que também foi abandonado, que também sofreu muito, e as cicatrizes dos sentimentos o fazem ter medo de bater fortemente novamente, pois elas podem se abrir e sangrar, e esse é o seu grande medo!

 

Realmente, as mulheres são diferentes! Elas se machucam, mas a capacidade de regeneração delas é muito maior, a mulher ao longo dos anos se tornou tão forte, tão bruxa, que a cicatriz do seu coração se torna apenas linha tênue, e elas têm coragem de enfrentar de peito aberto pois sabem da sua capacidade de se regenerar, mas eles não! Eles mantêm cicatrizes profundas e aparentes, e ainda não aprenderam a se auto regenerar, e elas podem sim, voltar a sangrar!

 

Homens frágeis! Eu vejo vocês!

 

* Iará Crís é Terapeuta Holística e Integrativa, Facilitadora de Cura e Consciência.

 

- Imagem: Divulgação.  

 

Leia também:

Outros destaques em Via Fanzine

 

- Produção: Pepe Chaves.

© Copyright, Pepe Arte Viva Ltda.

 

 

Ir para a página principal

 

 

AEROVIA ARQUEOLOVIA ASTROVIA DORNAS DIGITAL ITAÚNA FANZINE J.A. FONSECA UFOVIA VIA FANZINE

          

© Copyright, Pepe Arte Viva Ltda.