HOME | ZINESFERA| BLOG ZINE| EDITORIAL| ESPORTES| ENTREVISTAS| ITAÚNA| J.A. FONSECA| PEPE MUSIC| UFOVIA| AEROVIA| ASTROVIA

 

 

 América do Sul

Montevidéu:

Legalização da maconha perde força no Uruguai*

Pesquisa de opinião mostrou que 64% dos uruguaios são contrários à

legalização da venda de maconha e apenas 26% são favoráveis ao projeto.

 

O governo uruguaio decidiu frear a discussão parlamentar do projeto que pretende legalizar a venda e distribuição de maconha, diante da baixa aceitação social da ideia, promovida pelo presidente, José Mujica.

 

Mujica, que anunciou em junho o projeto polêmico que pretende que o Estado assuma o controle da produção da droga e sua venda, considerou esta terça-feira que é necessário "levar com calma" (devagar) a discussão porque além do voto no Congresso, onde a esquerda (situação) dispõe de maioria absoluta, a maioria "tem que estar na rua".

 

O freio ocorreu após a difusão de uma pesquisa de opinião da consultoria local Cifra, que mostrou que 64% dos uruguaios são contrários à legalização da venda de maconha e apenas 26% são favoráveis ao projeto.

 

O deputado governista Julio Bango - integrante da comissão que desenvolveu o projeto - explicou à AFP que "será retomado o processo de discussão a partir de março", após o recesso parlamentar do verão austral, que começou esta semana.

 

"Vamos continuar no caminho que tínhamos traçado. O ano de 2013 é um horizonte prudencial para conseguirmos um debate a fundo no qual os meios de comunicação ajudem a que se amplie o debate que vamos ter com o Parlamento, por isso espero que 2013 será o ano em que tomaremos a decisão", acrescentou Bango.

 

A intenção de Mujica de dilatar o debate visa a buscar que "o povo uruguaio avalie".

 

"Capaz que a sociedade pense em melhores soluções", já que "não podemos fazer coisas que outros países maiores não podem", disse o presidente esta quarta-feira.

"É preciso parar a via repressiva para controlar as drogas porque é um fracasso", mas sem deixar de lado "a informação do que acontece no mundo", acrescentou.

 

O projeto, elaborado depois de três meses de debate entre o Poder Executivo e legisladores da governista Frente Ampla (FA), permitirá a posse de 40 gramas de maconha mensais a consumidores registrados, seis plantas a quem cultivar a droga e 90 a clubes de consumidores.

 

* Informações de Ana Ines Cibils Macedo, Giovanna Fleitas | AFP.

   19/12/2012

 

*  *  *

 

Caracas:

Chávez vence e apostador mata sete

Homem que apostou em derrota de Chávez mata 7 pessoas na Venezuela.*

 

Um comerciante venezuelano que apostou que o opositor Henrique Capriles ganharia as eleições, matou sete pessoas, duas com as quais tinha feito a aposta e mais cinco que comemoravam a vitória de Hugo Chávez, informou a polícia nesta terça-feira.

 

O comissário Juan Losada, chefe policial da cidade de San Francisco, no estado de Zulia, onde aconteceu a tragédia, disse à Agência Efe que o acusado começou a matar as pessoas imediatamente após os resultados do pleito presidencial serem divulgados.

 

O comerciante Abigal Villasmil, de 29 anos, está foragido após supostamente disparar e matar Nelson Oviedo, de 29 anos, e Alexander Ánez, de 23, com quem apostado uma grande quantidade de dinheiro a favor do triunfo de Capriles, relatou o comissário.

 

Imediatamente após os resultados da eleição ficarem conhecidos, Villasmil atirou nas vítimas, com quem assistia televisão em um domicílio em San Francisco.

 

Após fazer os disparos, o acusado fugiu e poucas quadras depois, enfiou seu veículo em uma comemoração pelo triunfo de Chávez e arrastou várias pessoas, "matando quatro na hora e outra que faleceu em um hospital", disse o comissário.

 

"Já encontramos o veículo, mas não Villasmil, que segue foragido", sustentou o chefe da polícia, que acrescentou que as testemunhas seguem "deprimidas e não querem fornecer dados à investigação, entre eles, o montante da aposta".

 

* Informações da EFE.

   09/10/2012

 

*  *  *

 

Buenos Aires:

Jornalistas acusados de invadir e-mails de Kirchner

Jornalistas são investigados por espionar e-mails de Cristina Kirchner.*

 

Uma juíza federal argentina processou um general aposentado, o ex-diretor do serviço de inteligência e um grupo de jornalistas pelo suposto acesso ilegal a contas de e-mail da presidente do país, Cristina Kirchner, assim como de políticos, empresários e artistas.

 

A juíza federal Sandra Arroyo Salgado processou Juan Bautista Yofre, ex-diretor da Secretaria de Inteligência do Estado (Side) durante a gestão do ex-presidente Carlos Menem, o general aposentado Daniel Reimundes, ex-secretário-geral do exército durante os governos de Fernando de la Rúa e Eduardo Duhalde, e vários jornalistas.

 

Todos eles foram acusados de espionar os e-mails de personalidades públicas e políticas e depois comercializar seu conteúdo, o que foi classificado pela juíza como um "microemprendimento criminoso", segundo a agência oficial "Télam".

 

Os envolvidos respondem por formação de quadrilha, subtração de documentos e sonegação. Segundo a magistrada, as provas "não deixam dúvidas" da existência, pelo menos entre 2006 e 2008, de "uma empresa criminosa que com um fim lucrativo operou dedicada à busca, subtração, revelação e comercialização ilegal de dados, arquivos e informação de diversas índoles: político, social, militar e econômica".

 

"Grande parte dessa informação obtida dos e-mails de funcionários públicos do Governo nacional devia permanecer secreta em função da segurança, da defesa e das relações", acrescentou.

 

A justiça investiga a espionagem das mensagens eletrônicas da presidente, de vários de seus ministros, do titular da Suprema Corte de Justiça, Ricardo Lorenzetti, e inclusive da popular apresentadora de televisão Susana Giménez, de acordo com o jornal "Página 12".

 

* Informações da EFE.

   18/09/2012

 

*  *  *

 

Colômbia:

Farc vão pedir cessar-fogo em

negociação de paz com governo*

 

Santos afirma que 'não baixará guarda' durante processo de paz

 

A guerrilha de esquerda colombiana Farc disse nesta quinta-feira que vai buscar a implementação de um cessar-fogo no início das negociações de paz com o governo, que terão como objetivo encerrar uma guerra interna de meio século.

 

"Vamos propor um cessar-fogo imediatamente quando sentarmos à mesa", disse Mauricio Jaramillo, um dos chefes do grupo Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), em uma entrevista coletiva em Havana.

 

Os rebeldes disseram que as negociações com o governo colombiano, as primeiras desde uma tentativa fracassada de paz há uma década, vão começar em 8 de outubro na Noruega. Depois, o processo terá continuidade em Cuba, de acordo com autoridades.

 

* Informações de Jeff Franks| Reuters.

   06/09/2012

 

*  *  *

 

La Paz

Urânio é encontrado perto de embaixada brasileira

Duas toneladas de urânio são encontradas perto da embaixada do Brasil em La Paz*

 

O governo da Bolívia informou ter encontrado nesta terça-feira (28/08) "cerca de duas toneladas de urânio" em um prédio no coração de La Paz, a poucos metros das embaixadas de Brasil e Estados Unidos, e ordenou uma investigação imediata.

 

"São cerca de duas toneladas de material que se usa para a construção de armamento nuclear", disse em entrevista coletiva o vice-ministro do Interior, Jorge Pérez, que dirigiu a operação policial para remover o material "radioativo".

 

"A informação preliminar aponta para um alto nível de radioatividade, o que vamos determinar com a perícia que se realizará imediatamente", disse Pérez, revelando que o suposto dono do material "foi detido".

 

O vice-ministro não detalhou como o material foi localizado e para onde a polícia o levou, e se a operação ocorreu com as devidas medidas de segurança radioativa. Também não informou se os vizinhos do local precisarão realizar exames médicos.

 

O material estava em uma garagem do primeiro andar de um prédio no coração de La Paz, a poucos metros das embaixadas de Brasil e Estados Unidos.

 

"Nos chama a atenção o manejo de um material deste tipo, prejudicial à saúde, em tal quantidade e no centro da cidade de La Paz", disse Pérez.

 

As duas toneladas de urânio estavam "em bolsas (plásticas) expostas ao tempo, um material radioativo manipulado de maneira direta e de forma irresponsável, arriscando a vida de pessoas", prosseguiu o funcionário.

 

Segundo Pérez, o urânio "pode proceder do Brasil ou de outro país vizinho, e provavelmente seguiria para o Chile".

 

* Informações da AFP.

   28/08/2012

 

*  *  *

 

Santiago do Chile:

 Senadores apresentam projeto para legalizar maconha*

O projeto não especifica a quantidade que uma pessoa poderia

cultivar para seu consumo ou para fins terapêuticos.

 

Dois senadores chilenos apresentaram nesta quarta-feira um projeto que legaliza o cultivo de maconha para consumo pessoal e com fins terapêuticos, além de descriminalizar o porte de pequenas quantidades da droga para uso individual.

 

Trata-se do senador socialista Fulvio Rossi, que recentemente admitiu ser consumidor ocasional de maconha, e de Ricardo Lagos Weber, filho do ex-presidente chileno Ricardo Lagos e integrante Partido pela Democracia (PPD).

 

"Do ponto de vista científico e de saúde não existem argumentos para dizer porquê há drogas consideradas lícitas, como o tabaco e o álcool, e drogas ilícitas, como a maconha", argumentou Rossi, que é médico de profissão.

 

"Nenhuma droga é segura, o que não justifica que uma tenha status diferente da outra", disse o senador, que acha que "o enfoque proibicionista, que criminaliza o consumidor responsável, adulto, possibilita a existência do mercado negro, do tráfico".

 

Lagos Weber, por sua vez, afirmou que quando se permite o cultivo para consumo pessoal "se elimina a compra ilegal, o narcotráfico, e se reduz o negócio dos narcotraficantes".

 

O projeto não especifica a quantidade que uma pessoa poderia cultivar para seu consumo ou para fins terapêuticos, o que segundo Lagos Weber deve ser discutido durante a tramitação legislativa.

 

A proposta afirma que "estará isento de responsabilidade penal a pessoa que cultive em seu domicílio espécies do gênero cannabis sativa, sempre que seja para seu consumo pessoal e/ou uso terapêutico".

 

"Do mesmo modo estarão isentos de responsabilidade penal quem transportar uma quantidade definida de cannabis sativa. Um regulamento determinará essa quantidade", acrescentou.

 

O senador democrata-cristão Jorge Pizarro quer discutir o projeto "sem preconceitos de nenhum tipo", mas alertou que seria complexo definir os limites das quantidades permitidas, concordando que "a proibição produz hoje um negócio altamente rentável" e que poderia ser combatido.

 

"É bom revisar o que estamos fazendo em toda a política de controle de drogas, tráfico e consumo", acrescentou Pizarro, para quem "este é um debate do qual não se deve fugir e que vai ser interessante".

 

Na direita governista, o senador Jaime Orpis, da União Democrata Independente (UDI), condenou a iniciativa, que segundo ele "promove o consumo de maconha".

"Se a grande tarefa do Chile é reduzir o consumo, é uma contradição apresentar uma iniciativa que vai aumentá-lo", defendeu, manifestando a esperança de que o projeto seja rejeitado "de forma categórica".

 

Para Silvio Rossi, neste tema "há muito preconceito, e também uma espécie de autoritarismo moral, onde um grupo da sociedade pretende se firmar como autoridade moral e impor suas crenças, sua visão de mundo e muitas vezes seus próprios temores".

 

* Informações da EFE.

   09/08/2012

 

*   *   *

 

Caracas:

Lula causa mal estar em Caracas

Oposição venezuelana rejeita apoio de Lula à reeleição de Chávez.*

 

Hugo Chávez

 

Considerando o gesto do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva como uma "intromissão de um mercador", a oposição venezuelana manifestou neste sábado toda sua rejeição ao apoio que o político brasileiro enviou ao líder da Venezuela, Hugo Chávez.

 

"O Brasil é um grande país, e o brasileiro um grande povo. Mas, não por estas infelizes palavras, que mais pareciam vir de um mercador do que de um estadista", assinalou a aliança opositora venezuelana, Mesa da Unidade Democrática (MUD).

 

O conglomerado opositor fazia referência às declarações de apoio que o ex-presidente Lula enviou nesta sexta a Chávez, que, por sua vez, trabalha firme para assegurar sua reeleição nas eleições presidenciais venezuelanas de outubro.

 

Em um vídeo apresentado no encerramento do 18º Foro de São Paulo, realizado em Caracas, Lula diz: "Chávez, conta comigo, conta com o PT, conta com a solidariedade e o apoio de cada militante da esquerda, de cada democrata e de cada latino-americano. Sua vitória será nossa vitória".

 

Em nome da MUD, o integrante da comissão internacional Edmundo González ressaltou que essas palavras provocaram um "desconcerto" na oposição, destacando que tais palavras pareciam vir de "um meloso agente comercial, e não de um ex-governante".

 

"Na realidade, eu fiquei com pena ver Lula fazendo esse papel, que revela mais interesse do que amor", declarou González.

 

"O ex-presidente Lula não está no registro eleitoral dos venezuelanos e não vai a decidir a escolha de nosso presidente. Qualquer expressão de solidariedade que faça a Hugo Chávez ficará para a história e será retratada como perdedora", disse à agência Efe o deputado opositor Juan Carlos Caldeira.

 

Após ressaltar que "o respeito à soberania e aos venezuelanos" não deve vir através de discursos e sim de ações, Caldeira rejeitou o respaldo à reeleição de Chávez que encerrou o Foro de São Paulo, um encontro que reuniu representantes da esquerda mundial em Caracas.

 

"Foi um ato de campanha do Partido Socialista Unido da Venezuela (PSUV-governista) e um compromisso claro do presidente com uma agenda comunista, a mesma que os venezuelanos vão rejeitar no próximo dia 7 de outubro", completou o deputado.

 

Aproximadamente 18,9 milhões de venezuelanos serão convocados às urnas no dia 7 de outubro, quando definirão o presidente que governará o país entre 2013 e 2019. Nesta disputa, além de Chávez e de seu único opositor, o candidato Henrique Caprilas, outros cinco concorrentes também estão na lista de possíveis presidentes da Venezuela.

 

* Informações da EFE.

   08/07/2012

 

*  *  *

 

Paraguai:

Senado impede presidente Fernando Lugo

Senado do Paraguai aprova impeachment do presidente Fernando Lugo.*

 

Fernando Lugo

 

O Senado do Paraguai decretou nesta sexta-feira (22) o impeachment do presidente Fernando Lugo. Na votação, 39 senadores foram favoráveis à destituição do presidente e apenas quatro se declararam contra. Outros dois ficaram ausentes.

 

As ruas ao redor do Congresso paraguaio foram tomadas por tumultos após o anúncio da decisão. Por volta das 18h40, a situação já era mais calma. Ainda não há informações sobre feridos.

 

Mais cedo, Lugo afirmou à Rádio 10 argentina que acataria o julgamento político votado no Congresso, mas advertiu que iria estimular uma resistência "a partir de outras instâncias organizacionais". "É preciso acatá-lo [o julgamento político], é um mecanismo constitucional, mas a partir de outras instâncias organizacionais certamente decidiremos impor uma resistência para que o âmbito democrático e participativo do Paraguai vá se consolidando", disse o presidente.

 

A presidente Dilma Rousseff sinalizou nesta sexta-feira que um processo sumário de impeachment ao presidente do Paraguai, que representaria ameaça de ruptura da ordem democrática, poderia levar a uma sanção ao país. Entre as possíveis consequências, está o desligamento do Paraguai de organismos como Mercosul e Unasul.

 

* Informações de Yahoo! Notícias.

 

- Foto: Reuters.

 

- Tópico relacionado:

   Novo presidente Federico Franco presta primeira coletiva

 

*  *  *

 

Uruguai:

Governo planeja legalizar a venda de maconha

Uruguai planeja legalizar venda de maconha para frear criminalidade.*

 

O governo do Uruguai planeja legalizar a venda de maconha para evitar que os adolescentes consumam pasta base de cocaína, que é assinalada como a causa do aumento da delinquência juvenil no país.

 

Esta é uma das medidas contra a insegurança nas ruas que o Executivo presidido pelo ex-guerrilheiro José Mujica, da esquerdista Frente Ampla (FA), apresentará nesta quarta-feira em entrevista coletiva.

 

Fontes do Ministério do Interior explicaram que a iniciativa "requer um projeto de lei que ainda deve ser redigido".

 

Segundo informações da imprensa uruguaia, o governo pretende "estabelecer registros de consumidores" para outorgar-lhes "até 40 cigarros (de maconha) por mês" e a comercialização dessa droga incluirá "um imposto destinado à reabilitação de pessoas viciadas".

 

Como parte do pacote de medidas, o Executivo pretende também estabelecer controles sobre os meios de comunicação para evitar que sejam transmitidas imagens violentas nos noticiários de televisão, acrescentaram as fontes consultadas pela Efe.

 

Segundo a emissora "Canal 10", a proposta governamental pretende que a droga tenha "controles de qualidade garantida", mas "falta definir a forma e os locais de venda da maconha para seu consumo livre e controlado".

 

O plano tenta na realidade evitar que o consumidor tenha que ir a algum ponto de venda de drogas onde lhe ofereçam também pasta base de cocaína.

 

Consultado pela Efe, o deputado governista Víctor Semproni, do Movimento de Participação Popular, partido da coalizão governante ao qual Mujica também pertence, seu grupo é "partidário de pôr a maconha no mesmo nível que o tabaco e o álcool".

 

"Tem que ser industrializada, legalizada e vendida com as devidas advertências", ressaltou Semproni, que, no entanto, disse desconhecer o conteúdo do projeto.

 

O plano foi redigido pelo Gabinete de Segurança, formado por Mujica e seus ministros de Interior, Defesa e Exteriores, com a ajuda de um grupo de especialistas.

 

A medida foi questionada pela oposição através do Twitter. Para a deputada do opositor Partido Nacional, Ana Lía Piñeirúa, a legalização "apenas agravaria o consumo de drogas".

 

O líder do Partido Independiente, Pablo Mieres, assinalou que "é preciso estudar o projeto", embora, em sua opinião, esse plano não tenha "nada a ver" com a insegurança cidadã.

 

"O Estado vai vender maconha, ou seja vamos comprar do narcotráfico?", questionou por sua vez o senador nacionalista Luis Alberto Heber.

 

O líder do Partido Colorado, o senador Pedro Bordaberry, não se pronunciou por enquanto.

 

Bordaberry impulsionou a coleta de 367 mil assinaturas que foram apresentadas este ano no Parlamento para convocar um referendo com o qual pretende baixar a idade de imputabilidade penal para os 16 anos como medida contra a delinquência juvenil.

 

Mujica pronunciou nesta terça-feira uma mensagem à nação na qual instou seus compatriotas a "refletir" sobre a violência que, em sua opinião, "está presente em todos os segmentos" da sociedade.

 

O consumo de maconha para uso pessoal é legal no Uruguai e a Frente Ampla já enviou no ano passado ao Parlamento um projeto de lei para descriminalizar seu cultivo.

 

No país, de 3,3 milhões de habitantes, existem 150 mil consumidores de maconha, dos quais 60 mil fumam diariamente.

 

Segundo um estudo realizado pelas Nações Unidas em 2010 quase um de cada quarto delitos cometidos por adolescentes reclusos em centros de menores no Uruguai estiveram vinculados ao consumo de álcool ou drogas.

 

* Informações da EFE.

   20/06/2012

 

*  *  *

 

Cartagena:

Presidentes se encontram na Cúpula Americana

Dilma diz a Obama que alianças com EUA devem ser em pé "de igualdade".*

 

A presidente Dilma Rousseff disse neste sábado ao presidente norte-americano, Barack Obama, que as alianças entre a América Latina e os Estados Unidos devem ser em pé de igualdade e defendeu os processos de integração regionais.

 

"Alianças de igualdade", afirmou Dilma ao lembrar que, "no passado, as relações assimétricas entre norte e sul foram responsáveis por muitos acordos negativos".

 

Dilma se expressou assim durante uma conversa pública com Obama e o presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, durante o encerramento do Fórum Empresarial prévio à inauguração neste sábado da 6ª Cúpula das Américas, em Cartagena de Indias.

 

"Ninguém produz conhecimento, ciência, educação de qualidade se um for superior ao outro (...) todos sabemos que não existe diálogo entre pessoas e países desiguais, só existe cooperação se nos colocarmos como países que dependemos uns dos outros para fazer este mundo mais próspero", ressaltou a presidente.

 

Em um dos atos mais esperado deste fórum, que reúne desde sexta mais de 700 empresários na busca de fórmulas para reduzir o problema da desigualdade social no continente, Dilma reconheceu, no entanto, o importante papel dos Estados Unidos.

 

"Temos que reconhecer a importância da economia dos Estados Unidos, que possui importantes características neste mundo multipolar que está surgindo: uma imensa flexibilidade, uma enorme liderança em ciência, tecnologia e inovação, e suas raízes democráticas", disse Dilma ao ressaltar "o importante papel que a economia americana segue desempenhando na América Latina".

 

A presidente do Brasil, cuja economia já é a sexta do mundo, respondeu perguntas sobre crescimento econômico e se orgulhou ao falar "da virtuosa expansão do mercado interno brasileiro", além de ressaltar o importante papel do país em integrar a região em seu conjunto.

 

"Temos que trabalhar na integração de nossos países e nossas economias", indicou Dilma ao mencionar os países latino-americanos e expressar seu otimismo "em direção às relações no hemisfério".

 

Entre os aplausos do público, a presidente citou especialmente as conquistas obtidas no seio de organismos regionais, como a Comunidade de Estados Latino-americanos e Caribenhos (CELAC), a União Sul-Americana de Nações (Unasul), o Mercosul e o G20.

 

Segundo Dilma, estes fóruns permitem "articular processos de apoio e financiamento para os setores produtivos" dos países da América Latina e o Caribe.

 

* Informações da EFE.

   14/04/2012

 

*  *  *

 

Panamá:

Ex-ditador Noriega retorna ao seu país

Extraditado da França, ele retorna para cumprir pena em seu país natal.*

 

O avião trazendo o ex-ditador panamenho Manuel Antonio Noriega, extraditado de Paris, pousou neste domingo (11) no Panamá, onde deve cumprir 60 anos por condenações relativas a assassinatos de opositores, depois de mais de duas décadas preso nos EUA e na França por narcotráfico.

 

O avião da companhia espanhola Iberia aterrisou na pista 3R do aeroporto internacional de Tocumen, na cidade do Panamá, às 18h10 locais (21h10 de Brasília), e foi levado imediatamente para a área antiga do terminal, hoje destinada a cargas, para desembarcar o ex-ditador.

 

De acordo com jornalistas que viajaram no avião citados por uma emissora de TV local, Noriega, que vestia uma camisa preta, foi examinado por médicos "possivelmente pela emoção" de chegar ao território panamenho. Ele está com 77 anos de idade.

 

Destituído do poder em 20 de dezembro de 1989 em uma contrainvasão promovida pelos EUA -  país a que serviu por anos como agente da CIA -, Noriega cumpriu 20 anos de prisão em Miami, por narcotráfico, e quase dois em Paris, por lavagem de dinheiro.

 

Durante sua ausência, Noriega foi condenado a três penas de 20 anos, por desaparecimento e assassinato de opositores - seu governo durou de 1982 a 1989. Embora tenha aceitado sua entrega, tem intenção de "demonstrar sua inocência", segundo explicou em pronunciamento perante o Tribunal de Apelação de Paris no dia 23 de novembro.

 

* Informações do G1, com agências internacionais.

   11/12/2011

 

Página inicial  HOME

 

 

 

 

 

 HOME | ZINESFERA| BLOG ZINE| EDITORIAL| ESPORTES| ENTREVISTAS| ITAÚNA| J.A. FONSECA| PEPE MUSIC| UFOVIA| AEROVIA| ASTROVIA

© Copyright 2004-2012, Pepe Arte Viva Ltda.

 

Motigo Webstats - Free web site statistics Personal homepage website counter