AEROVIA ARQUEOLOVIA ASTROVIA DORNAS DIGITAL ITAÚNA FANZINE J.A. FONSECA UFOVIA VIA FANZINE

          

Brasília

 

Ministério do Trabalho:

Eliseu Padilha assume interinamente Ministério*

Um dos alvos da terceira fase da Operação Registro Espúrio, deflagrada hoje pela Polícia Federal (PF), o ministro Helton Yomura prestou depoimento na superintendência do órgão, em Brasília.

 

Em edição extra do Diário Oficial da União, publicado há pouco, o presidente Michel Temer exonerou Yomura e nomeou Padilha.

Leia também:

Outros destaques em Via Fanzine

 

O chefe da Casa Civil da Presidência da República, ministro Eliseu Padilha, vai assumir interinamente o Ministério do Trabalho, no lugar de Helton Yomura. Padilha vai acumular os dois cargos. Em edição extra do Diário Oficial da União, publicado há pouco, o presidente Michel Temer exonerou Yomura e nomeou Padilha.

 

Em nota à imprensa divulgada na noite desta quinta-feira (5), o Palácio do Planalto informou que Temer recebeu e aceitou o pedido de exoneração do ministro do Trabalho. "O presidente agradeceu sua dedicação à frente da pasta", diz a nota da Secretaria de Comunicação Social da Presidência.

 

Um dos alvos da terceira fase da Operação Registro Espúrio, deflagrada hoje pela Polícia Federal (PF), o ministro Helton Yomura prestou depoimento na superintendência do órgão, em Brasília, acompanhado por seu advogado, e depôs por cerca de uma hora.

 

Em nota, o advogado do ministro, César Caputo Guimarães, confirmou que, em função das investigações, Yomura foi suspenso de suas funções no ministério e afirmou que todas as medidas jurídicas cabíveis seriam adotadas para reverter tal medida, determinada pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

 

A PF informou que o objetivo da terceira fase da Operação Registro Espúrio foi aprofundar as investigações sobre uma suposta organização criminosa suspeita de fraudar a concessão de registros sindicais junto ao Ministério do Trabalho.

 

* Informações de Ana Cristina Campos/Agência Brasil  Brasília

  05/07/2018

 

- Foto: Cesar Itiberê/PR.

 

*  *  *

 

Economia:

Petroleiros deflagram greve

Mesmo com liminar do TST, petroleiros deflagram paralisação*.

 

Ministra do TST concede liminar para impedir greve de petroleiros. CUT e mais cinco centrais sindicais anunciam apoio aos petroleiros. Paralisação de petroleiros é política e sem reivindicação, diz Parente.

Leia também:

Outros destaques em Via Fanzine

 

A Federação Única dos Petroleiros (FUP)  anunciou hoje (30) que, mesmo com a liminar do Tribunal Superior do Trabalho (TST) que considerou a greve abusiva, a paralisação da categoria foi iniciada e atinge refinarias, terminais e plataformas da Bacia de Campos. O movimento programou atos e manifestações ao longo do dia.

 

Pelo balanço da FUP, os trabalhadores cruzaram os braços nas refinarias de Manaus (Reman), Abreu e Lima (Pernambuco), Regap (Minas Gerais), Duque de Caxias (Reduc), Paulínia (Replan), Capuava (Recap), Araucária (Repar), Refap (RS), além da Fábrica de Lubrificantes do Ceará (Lubnor), da Araucária Nitrogenados (Fafen-PR) e da unidade de xisto do Paraná (SIX).

 

A FUP informou que não houve troca dos turnos da 0h nos terminais de Suape (PE) e de Paranaguá (PR). Segundo a federação, na Bacia de Campo os trabalhadores também aderiram à paralisação em diversas plataformas.

 

Reivindicações

 

Os petroleiros afirmam que o movimento é uma reação à política de preços dos combustíveis, de crítica à gestão na Petrobras e contra os valores cobrados no gás de cozinha e nos combustíveis.

 

A paralisação dos petroleiros ocorre três dias depois de o presidente Michel Temer e equipe negociarem um acordo com os caminhoneiros. Por mais de uma semana, os caminhoneiros pararam o país, provocando desabastecimento nos postos de gasolina, supermercados e prejuízos à economia.

 

Ministra do TST concede liminar para impedir greve de petroleiros

 

A ministra  Maria de Assis Calsing, do Tribunal Superior do Trabalho (TST), decidiu há pouco impedir o início da greve dos petroleiros que trabalham em refinarias da Petrobras, prevista para começar amanhã (30).

 

A liminar foi concedida a pedido de Advocacia-Geral da União (AGU). Para a advocacia, a greve dos trabalhadores, em meio ao quadro de desabastecimento provocado pela paralisação de caminhoneiros, trará prejuízos gravíssimos à sociedade, tendo em vista o potencial para prejudicar o abastecimento do mercado interno de gás natural, petróleo e seus derivados.

 

Ao analisar o caso, a ministra entendeu que a greve seria abusiva e "realizada para incomodar". Pela decisão, os sindicatos dos grevistas deverão pagar multa diária de R$ 500 mil em caso de descumprimento e também estão impedidos de travar o trânsito de mercadorias e pessoas nas refinarias.

 

"É potencialmente grave o dano que eventual greve da categoria dos petroleiros irá causar à população brasileira, por resultar na continuidade dos efeitos danosos causados com a paralisação dos caminhoneiros. Beira o oportunismo a greve anunciada, cuja deflagração não se reveste de proporcionalidade do que poderia, em tese, ser alcançado com a pauta perseguida e o sacrifício da sociedade para a consecução dos propósitos levantados", decidiu a ministra.

 

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) convocou a paralisação reivindicando redução dos preços do gás de cozinha e dos combustíveis. Também há críticas à gestão de Pedro Parente na Petrobras e o pedido para que ele deixe o cargo.

 

CUT e mais cinco centrais sindicais anunciam apoio aos petroleiros

 

A paralisação de 72 horas a ser deflagrada a partir de amanhã (29) pelos petroleiros recebeu, nesta terça-feira (28), apoio de seis entidades sindicais: Central Única dos Trabalhadores (CUT),  Força Sindical, União Geral dos Trabalhadores (UGT), Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), Nova Central e Central dos Sindicatos do Brasil (CSB) .

 

Com críticas ao governo federal e apoio à paralisação dos caminhoneiros, encerrada após acordo no último domingo (27), os líderes das centrais sindicais reiteram a relevância da Petrobras na economia nacional e seu papel estratégico. Em nota, as entidades destacam a importância da estatal.

 

“A Petrobras é uma das mais importantes empresas dos brasileiros com um incomensurável papel na economia do país, considerando-se tanto na área de investimentos como no processo de valor dos combustíveis. É importante proteger e desenvolver o papel estratégico das empresas públicas - Petrobras, sistema Eletrobras e bancos públicos, entre outros - para a promoção dos desenvolvimentos econômico e social.”

 

No comunicado, as entidades sindicais anunciam que no próximo dia 6, às 10h, no Sindicado dos Químicos, em São Paulo, haverá um encontro de lideranças para debater uma agenda da classe trabalhadora com propostas para discussão durante a campanha eleitoral.

 

“A história tem revelado a importância de entidades sindicais fortes e representativas como fator de equilíbrio e bom senso nas negociações em todas as partes do mundo”, diz o comunicado.

 

O texto acrescenta ainda: “As centrais sindicais, legítimas representantes dos trabalhadores, têm propostas que visam um país com crescimento da economia, dos empregos e de renda para todos, além do fortalecimento das entidades sindicais visando negociações equilibradas, o fortalecimento e a ampliação de políticas sociais, em prol da eliminação da desigualdade social e da renda”.

 

O documento é assinado pelos presidentes Vagner Freitas (CUT), Paulo Pereira da Silva, Paulinho da Força (Presidente da Força Sindical), Ricardo Patah (UGT), Adilson Araújo (CTB), José Calixto Ramos (Nova Central) e Antonio Neto (CSB).

 

Paralisação de petroleiros é política e sem reivindicação, diz Parente

 

O presidente da Petrobras, Pedro Parente, classificou hoje (29) como “política” a paralisação de 72 horas dos petroleiros, anunciada para amanhã (30). Parente disse que o movimento não apresentou uma pauta reivindicatória e que houve um acordo, no ano passado, com vigência de 24 meses, incluindo reajuste salarial.

 

“Houve uma convocação de greve por parte de alguns sindicatos para três dias a partir de amanhã. Não existe pauta reivindicatória porque a pauta reivindicatória é muito mais de natureza política do que propriamente uma pauta de caráter de vantagens incluindo remuneração”, afirmou Parente, ao participar de uma teleconferência com investidores e analistas de bancos.

 

Carta

 

Parente disse que foi encaminhada ontem (28) uma carta aos funcionários da Petrobras, alertando sobre os riscos de uma paralisação para o país e a sociedade. “Fizemos uma carta de toda a diretoria a toda a nossa força de trabalho, que é uma força de trabalho, que tem operado nessa situação de crise com extrema dedicação engajamento e visão da relevância de preservarmos e minimizarmos os riscos para a operação da empresa”, disse.

 

Paralelamente, Parente afirmou que a Petrobras intensificou a comunicação com os empregados para evitar eventuais prejuízos, se a paralisação for deflagrada: “Confiamos que nossos colaboradores entendam o momento que estamos vivendo e esperamos, é nosso desejo, que de fato a gente possa passar por isso sem maiores consequências para a operação da empresa”

 

Advertência

 

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) disse que a paralisação é uma advertência em defesa da redução dos preços do gás de cozinha e dos combustíveis. Também há críticas à gestão de Pedro Parente na Petrobras. A entidade destacou que a advertência é uma etapa das mobilizações que os petroleiros, decisão aprovada em âmbito nacional.

 

Na tarde de hoje seis entidades sindicais anunciaram apoio à paralisação dos petroleiros: Central Única dos Trabalhadores (CUT), a Força Sindical, a União Geral dos Trabalhadores (UGT), a Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), a Nova Central e a Central dos Sindicatos do Brasil (CSB).

 

* Informações de Cristina Indio do Brasil, Renata Giraldi e André Richter/Agência Brasil.

   30/05/2018

 

- Foto: Divulgação.

 

 

Ir para a página principal

AEROVIA ARQUEOLOVIA ASTROVIA DORNAS DIGITAL ITAÚNA FANZINE J.A. FONSECA UFOVIA VIA FANZINE

          

© Copyright, Pepe Arte Viva Ltda.

Motigo Webstats - Free web site statistics Personal homepage website counter